Comité de gestão do centro histórico de Mbanza Kongo tem novos membros

  • Monumento histórico do Cemitério Nkulu Mbimbi na província do Zaire
Mbanza Kongo – Três novos quadros superiores foram esta terça-feira, em Mbanza Kongo, nomeados por despacho do governador provincial do Zaire, Pedro Makita Armando Júlia, para fazerem parte do Comité de Gestão Participativa do Centro Histórico de Mbanza Kongo.

Trata-se de Avelino Manzueto, André Nlandu e Luntadila Lunguana, respectivamente, que, em comissão de serviço, passam a exercer as funções de chefes da área de conservação e investigação científica, da administração e gestão, e promoção e valorização do gabinete técnico de gestão do Comité de Gestão Participativa do Centro Histórico de Mbanza Kongo.

O Centro Histórico de Mbanza Kongo ganhou estatuto de Património Cultural Mundial a 8 de Julho de 2017, com a sua inscrição na lista da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

O Centro Histórico de Mbanza Kongo ocupa uma área de 89.29 hectares, ao passo que a zona tampão estende-se numa área de 622, 16 hectares.

Criado a luz do decreto presidencial 178/2015, de 18 de Setembro, o Centro Histórico de Mbanza Kongo tem como objectivo desenvolver acções que visem a conservação e preservação do património histórico-cultural local, assim como a divulgação do seu valor excepcional.

Integram este comité, o governador do Zaire, Pedro Makita Armando Júlia (presidente), representantes do Ministério da Cultura, responsáveis locais dos sectores da Educação, Administração do Território, Ensino Superior, Obras Públicas, Urbanismo e Ambiente, Turismo e Hotelaria, Finanças, membros da sociedade civil, entidades tradicionais e religiosas.

 

 

 

 

Trata-se de Avelino Manzueto, André Nlandu e Luntadila Lunguana, respectivamente, que, em comissão de serviço, passam a exercer as funções de chefes da área de conservação e investigação científica, da administração e gestão, e promoção e valorização do gabinete técnico de gestão do Comité de Gestão Participativa do Centro Histórico de Mbanza Kongo.

O Centro Histórico de Mbanza Kongo ganhou estatuto de Património Cultural Mundial a 8 de Julho de 2017, com a sua inscrição na lista da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

O Centro Histórico de Mbanza Kongo ocupa uma área de 89.29 hectares, ao passo que a zona tampão estende-se numa área de 622, 16 hectares.

Criado a luz do decreto presidencial 178/2015, de 18 de Setembro, o Centro Histórico de Mbanza Kongo tem como objectivo desenvolver acções que visem a conservação e preservação do património histórico-cultural local, assim como a divulgação do seu valor excepcional.

Integram este comité, o governador do Zaire, Pedro Makita Armando Júlia (presidente), representantes do Ministério da Cultura, responsáveis locais dos sectores da Educação, Administração do Território, Ensino Superior, Obras Públicas, Urbanismo e Ambiente, Turismo e Hotelaria, Finanças, membros da sociedade civil, entidades tradicionais e religiosas.