Governador assegura conclusão das obras do Cine Clube

  • Zaire: Estado actual do Cine Clube "Comandante Bula" em Mbanza Kongo
Mbanza Kongo - O governador do Zaire, Pedro Makita Armando Júlia, assegurou, nesta quinta-feira, em Mbanza Kongo, que as obras de reabilitação do Cine Clube serão retomadas.

Falando num encontro com jovens, por ocasião da visita de trabalho da ministra da Juventude e Desportos, Ana Paula de Sacramento Neto, o governador do Zaire revelou que solicitou uma verba de dois mil milhões de Kwanzas ao Executivo para o efeito.

Lembrou que a reabilitação desta infra-estrutura de carácter cultural e desportivo teve início em Fevereiro de 2018 e culminaria com a modernização da sala de cinema e do campo gimnodesportivo adjacente.

Enquanto se aguarda pela resposta do Executivo, segundo o governador, está a interagir, também, com as empresas do sector do petróleo e gás que operam na região para apoiarem a conclusão das obras.

Destacou, na ocasião, o trabalho que culminou com a requalificação e modernização do Largo António Agostinho Neto, em Mbanza Congo, que acolheu, em 2018, o acto da abertura da primeira edição do Festival Internacional da Cultura Kongo (Festikongo).

“Antes da requalificação, este largo estava repleto de capim, mas hoje está todo pavimentado e requalificado”, sublinhou, para quem a vontade de fazer mais e melhor das autoridades locais esbarra na insuficiência de recursos financeiros.

Esta infra-estrutura herdada da época colonial está inoperante há cerca de três anos, altura em que começaram as obras de requalificação e modernização, interrompidas dois meses depois por dificuldades de ordem financeira.

O principal propósito da requalificação era dotar a sua sala de espectáculos, com a capacidade aproximada de 500 lugares, de condições para acolher a cerimónia de abertura da primeira edição do Festival Internacional da Cultura Kongo (Festikongo), em Julho de 2018.

O projecto previa, também, a ampliação e modernização do campo multiuso adjacente, com o aumento da capacidade de assentos na sua bancada e consequente cobertura do salão.

A cidade de Mbanza Kongo, capital da província do Zaire e Património Cultural da Humanidade, debate-se com a falta de espaços de lazer e para a prática do desporto, preocupação, entre outras, apresentada a ministra Ana Paula de Sacramento Neto.

A ministra prossegue a sua visita de quatro dias ao Zaire, que a conduzirá aos municípios do Cuimba e Nóqui, após estadias no Nzeto, Soyo, Tomboco.

O lançamento dos jogos oficiais tradicionais e do projecto Juventude Informada, Responsável e Organizada (JIRO) constituem os principais propósitos da governante ao Zaire, para além de constatação e auscultação dos problemas afins.

 

Falando num encontro com jovens, por ocasião da visita de trabalho da ministra da Juventude e Desportos, Ana Paula de Sacramento Neto, o governador do Zaire revelou que solicitou uma verba de dois mil milhões de Kwanzas ao Executivo para o efeito.

Lembrou que a reabilitação desta infra-estrutura de carácter cultural e desportivo teve início em Fevereiro de 2018 e culminaria com a modernização da sala de cinema e do campo gimnodesportivo adjacente.

Enquanto se aguarda pela resposta do Executivo, segundo o governador, está a interagir, também, com as empresas do sector do petróleo e gás que operam na região para apoiarem a conclusão das obras.

Destacou, na ocasião, o trabalho que culminou com a requalificação e modernização do Largo António Agostinho Neto, em Mbanza Congo, que acolheu, em 2018, o acto da abertura da primeira edição do Festival Internacional da Cultura Kongo (Festikongo).

“Antes da requalificação, este largo estava repleto de capim, mas hoje está todo pavimentado e requalificado”, sublinhou, para quem a vontade de fazer mais e melhor das autoridades locais esbarra na insuficiência de recursos financeiros.

Esta infra-estrutura herdada da época colonial está inoperante há cerca de três anos, altura em que começaram as obras de requalificação e modernização, interrompidas dois meses depois por dificuldades de ordem financeira.

O principal propósito da requalificação era dotar a sua sala de espectáculos, com a capacidade aproximada de 500 lugares, de condições para acolher a cerimónia de abertura da primeira edição do Festival Internacional da Cultura Kongo (Festikongo), em Julho de 2018.

O projecto previa, também, a ampliação e modernização do campo multiuso adjacente, com o aumento da capacidade de assentos na sua bancada e consequente cobertura do salão.

A cidade de Mbanza Kongo, capital da província do Zaire e Património Cultural da Humanidade, debate-se com a falta de espaços de lazer e para a prática do desporto, preocupação, entre outras, apresentada a ministra Ana Paula de Sacramento Neto.

A ministra prossegue a sua visita de quatro dias ao Zaire, que a conduzirá aos municípios do Cuimba e Nóqui, após estadias no Nzeto, Soyo, Tomboco.

O lançamento dos jogos oficiais tradicionais e do projecto Juventude Informada, Responsável e Organizada (JIRO) constituem os principais propósitos da governante ao Zaire, para além de constatação e auscultação dos problemas afins.