Responsável defende valorização de jogos tradicionais

  • Cidade de Mbanza Kongo
Mbanza Kongo – O responsável da área de promoção e valorização do Centro Histórico de Mbanza Kongo, no Zaire, Ngonga Afonso, advogou, nesta terça-feira, o resgate e preservação dos jogos tradicionais da região.

Ngonga Afonso, que falava à ANGOP, na véspera do lançamento, quinta-feira, dos jogos oficiais tradicionais, nesta cidade, enumerou, entre os jogos herdados dos ancestrais do Reino do Kongo, a “Luela”, “Npanza”, “Ndele”, “Sueca Solola”, “Mansasa Mena” e “Nkinka”.

Alguns destes jogos tradicionais, apontou,  eram usados como estratégia militar para a defesa do reinado contra ataques inimigos.

Explicou que, através do jogo tradicional “Luela”, por exemplo, era possível traçar a estratégia de uma ofensiva militar, pois que servia como cartografia no campo de batalha.

Quanto ao “ Npanza”, contou que era utilizado como detector de mentiras em julgamentos tradicionais.

Prosseguiu que o “Sueka Solola” era uma forma de estudo psicológico, para desvendar alguns segredos ou descobrir o paradeiro de alguém.

Ngonga Afonso pediu a colaboração de toda a sociedade para a preservação e perpetuação desse legado, que considerou ser património imaterial valioso.

Apontou ainda como finalidade destes jogos tradicionais a ocupação sadia dos tempos livres de crianças e jovens.

Na sua opinião, o Ministério da Cultura deveria catalogar estes e outros jogos tradicionais do país para os inserir no currículo do ensino de base, visando a sua divulgação e preservação.

A província do Zaire é detentora de um património cultural material e imaterial excepcional.

Este atributo permitiu a inscrição da sua capital, Mbanza Kongo, antigo centro político administrativo do Reino do Kongo, na lista do Património da Humanidade, a 08 de Julho de 2017.

Na quinta-feira, em Mbanza Kongo, a ministra da Juventude e Desportos, Ana Paula de Sacramento Neto, vai proceder ao lançamento dos jogos Oficiais Tradicionais.

Ngonga Afonso, que falava à ANGOP, na véspera do lançamento, quinta-feira, dos jogos oficiais tradicionais, nesta cidade, enumerou, entre os jogos herdados dos ancestrais do Reino do Kongo, a “Luela”, “Npanza”, “Ndele”, “Sueca Solola”, “Mansasa Mena” e “Nkinka”.

Alguns destes jogos tradicionais, apontou,  eram usados como estratégia militar para a defesa do reinado contra ataques inimigos.

Explicou que, através do jogo tradicional “Luela”, por exemplo, era possível traçar a estratégia de uma ofensiva militar, pois que servia como cartografia no campo de batalha.

Quanto ao “ Npanza”, contou que era utilizado como detector de mentiras em julgamentos tradicionais.

Prosseguiu que o “Sueka Solola” era uma forma de estudo psicológico, para desvendar alguns segredos ou descobrir o paradeiro de alguém.

Ngonga Afonso pediu a colaboração de toda a sociedade para a preservação e perpetuação desse legado, que considerou ser património imaterial valioso.

Apontou ainda como finalidade destes jogos tradicionais a ocupação sadia dos tempos livres de crianças e jovens.

Na sua opinião, o Ministério da Cultura deveria catalogar estes e outros jogos tradicionais do país para os inserir no currículo do ensino de base, visando a sua divulgação e preservação.

A província do Zaire é detentora de um património cultural material e imaterial excepcional.

Este atributo permitiu a inscrição da sua capital, Mbanza Kongo, antigo centro político administrativo do Reino do Kongo, na lista do Património da Humanidade, a 08 de Julho de 2017.

Na quinta-feira, em Mbanza Kongo, a ministra da Juventude e Desportos, Ana Paula de Sacramento Neto, vai proceder ao lançamento dos jogos Oficiais Tradicionais.