2020 será o ano mais mortal desde o final da I Guerra Mundial em 1918

Nova Iorque – O número de mortos no país assistirá ao maior aumento percentual num ano desde 1918, quando dezenas de milhares de soldados morreram na Primeira Guerra Mundial e outras centenas de milhares faleceram na pandemia da gripe.

Este ano será o ano mais mortal da história dos Estados Unidos, indica a Associated Press, ainda que os relatórios finais ainda demorem meses a ser revelados.

Os números preliminares revelam que os EUA se encaminham para mais de 3,2 milhões de mortes este ano, ou seja, pelo menos mais 400 mil do que em 2019.

A agência explica que os mortos nos EUA sobem na maior parte dos anos, sendo esperado sempre algum crescimento. Porém, em 2020, os números parecem aproximar-se de um aumento na ordem dos 15 por cento - e pode aumentar, com as mortes de Dezembro -, o que significará o maior aumento percentual num ano desde 1918, quando dezenas de milhares de soldados morreram na Primeira Guerra Mundial e outras centenas de milhares morreram na pandemia da gripe.

Em 1918, comparativamente a 1917, os falecidos aumentaram 46 por cento.

A pandemia do novo coronavírus matou, até ao momento, mais de 318 mil norte-americanos. Sem a Covid-19, explica a AP, os números de mortos nos EUA seriam diferentes, uma vez que taxa de mortalidade decresceu um pouco em 2019, por causa das diminuições de mortes por doenças coronárias e por cancro.

E a esperança média de vida aumentou também um pouco (algumas semanas) pelo segundo ano consecutivo, de acordo com o CDC, algo que este ano pode sofrer uma reversão equivalente ao crescimento dos últimos três anos.

 

Este ano será o ano mais mortal da história dos Estados Unidos, indica a Associated Press, ainda que os relatórios finais ainda demorem meses a ser revelados.

Os números preliminares revelam que os EUA se encaminham para mais de 3,2 milhões de mortes este ano, ou seja, pelo menos mais 400 mil do que em 2019.

A agência explica que os mortos nos EUA sobem na maior parte dos anos, sendo esperado sempre algum crescimento. Porém, em 2020, os números parecem aproximar-se de um aumento na ordem dos 15 por cento - e pode aumentar, com as mortes de Dezembro -, o que significará o maior aumento percentual num ano desde 1918, quando dezenas de milhares de soldados morreram na Primeira Guerra Mundial e outras centenas de milhares morreram na pandemia da gripe.

Em 1918, comparativamente a 1917, os falecidos aumentaram 46 por cento.

A pandemia do novo coronavírus matou, até ao momento, mais de 318 mil norte-americanos. Sem a Covid-19, explica a AP, os números de mortos nos EUA seriam diferentes, uma vez que taxa de mortalidade decresceu um pouco em 2019, por causa das diminuições de mortes por doenças coronárias e por cancro.

E a esperança média de vida aumentou também um pouco (algumas semanas) pelo segundo ano consecutivo, de acordo com o CDC, algo que este ano pode sofrer uma reversão equivalente ao crescimento dos últimos três anos.