Alemanha regista 903 mortos e 6.408 novos casos

Berlim - A Alemanha registou, nas últimas 24 horas, 903 mortos pelo novo coronavírus e 6.408 novas infecções informou hoje o Instituto Robert Koch (RKI) referindo que se mantém uma descida dos valores em relação às últimas semanas.

O pico de novos casos registou-se no dia 18 de Dezembro com 33.777 casos e o máximo de mortes por covid-19 ocorreu a 14 de Janeiro, com 1.244 óbitos.

A incidência acumulada apresenta uma descida em relação aos últimos sete dias situando-se actualmente nos 107,6 por cada 100 mil habitantes, quase metade dos 197,6 do que foi registado a 22 de Dezembro.

No total, 52.990 pessoas morreram na Alemanha, vítimas de SARS CoV-2 e 2.148.077 pessoas ficaram infectadas desde o início da pandemia, sendo que 1.844.000 conseguiram recuperar da doença.

Até ao momento 1.783.118 cidadãos receberam uma das duas doses da vacina contra o covid-19, no país. 

O país vai manter as restrições, pelo menos até ao dia 14 de Fevereiro, às actividades públicas e económicas para contenção da pandemia.

De acordo com o governo, o principal risco neste momento é a propagação das variantes do novo coronavírus consideradas mais contagiosas.

Os locais de diversão e culturais, restaurantes e comércio não essencial assim como as escolas permanecem encerrados há quase três meses.

As reuniões em casas limitam-se a uma pessoa que não habite o domicílio.

 

O pico de novos casos registou-se no dia 18 de Dezembro com 33.777 casos e o máximo de mortes por covid-19 ocorreu a 14 de Janeiro, com 1.244 óbitos.

A incidência acumulada apresenta uma descida em relação aos últimos sete dias situando-se actualmente nos 107,6 por cada 100 mil habitantes, quase metade dos 197,6 do que foi registado a 22 de Dezembro.

No total, 52.990 pessoas morreram na Alemanha, vítimas de SARS CoV-2 e 2.148.077 pessoas ficaram infectadas desde o início da pandemia, sendo que 1.844.000 conseguiram recuperar da doença.

Até ao momento 1.783.118 cidadãos receberam uma das duas doses da vacina contra o covid-19, no país. 

O país vai manter as restrições, pelo menos até ao dia 14 de Fevereiro, às actividades públicas e económicas para contenção da pandemia.

De acordo com o governo, o principal risco neste momento é a propagação das variantes do novo coronavírus consideradas mais contagiosas.

Os locais de diversão e culturais, restaurantes e comércio não essencial assim como as escolas permanecem encerrados há quase três meses.

As reuniões em casas limitam-se a uma pessoa que não habite o domicílio.