Aung San Suu Kyi alvo de novos processos judiciais em Myanmar

Rangum - A dirigente de Myanmar Aung San Suu Kyi, afastada pelo golpe de Estado militar de 01 de Fevereiro, foi acusada de duas novas infracções anunciaram hoje os advogados de defesa, segundo noticiou a Lusa.

Suu Kyi está a ser processada por ter violado uma lei sobre telecomunicações e por "incitamento à desordem pública", disse o advogado Nay Tu.


A dirigente da Liga Nacional para a Democracia e chefe do Executivo "de facto" da antiga Birmânia detida em regime de prisão domiciliária já tinha sido processada por se encontrar na posse de dois rádios telefone obtidos "sem respeitar as ordens de restrição a medidas impostas contra a pandemia de covid-19".
 

 

Suu Kyi está a ser processada por ter violado uma lei sobre telecomunicações e por "incitamento à desordem pública", disse o advogado Nay Tu.


A dirigente da Liga Nacional para a Democracia e chefe do Executivo "de facto" da antiga Birmânia detida em regime de prisão domiciliária já tinha sido processada por se encontrar na posse de dois rádios telefone obtidos "sem respeitar as ordens de restrição a medidas impostas contra a pandemia de covid-19".