Autoridades sobem para 138 número de mortes por inundações na Índia

  • Bandeira da Índia
Nova Deli - As autoridades indianas aumentaram para 138 o número de mortes provocadas pelas inundações associadas às chuvas fortes no estado de Maharashtra, no oeste da Índia, triplicando o número de vítimas nas últimas 24 horas.

O ministro da Ajuda e Reabilitação de Maharashtra, Vijay Wadettiwar, confirmou hoje a morte de 138 pessoas, devido às fortes chuvas que nos últimos dias afectaram vários distritos do seu estado, especialmente nas zonas rurais de Raigad e Konkan, que obrigaram ao envio de forças especiais de resgate.

"Devido à tempestade, há enormes danos em Konkan. Nesta situação crítica, as autoridades estão a trabalhar sem parar para colocar os cidadãos em segurança", disse Wadettiwar, que referiu ainda que quase 100 mil pessoas tiveram de ser retiradas das suas habitações.

No distrito de Raigad, onde os próprios habitantes participam da recuperação dos corpos e colaboram na busca dos desaparecidos, "a situação é gravíssima", informou Devendra Fadnavis, uma responsável dos serviços de emergência locais.

O transbordamento dos rios tem causado inundações em várias localidades, arrastando viaturas e motorizadas e deixando casas parcialmente submersas.

Entre os que participaram na operação de resgate estão o Exército, a Marinha, a Guarda Costeira e a Força Nacional de Resposta a Desastres (Protecção Civil), informou o Ministério da Defesa, que utilizou helicópteros na acção de auxílio e ajuda.

Entretanto, o primeiro-ministro Narendra Modi escreveu, a propósito da catástrofe, no Twitter: "A situação em Maharashtra, devido às fortes chuvadas, está a ser acompanhada de perto e assistência está a ser fornecida aos afectados".

De acordo com as previsões do Departamento de Meteorologia Indiano, as chuvas começarão a perder intensidade a partir de domingo.

As inundações e os deslizamentos de terra são frequentes durante a temporada de monções na Índia, assim como o colapso de prédios devido a deficiências em infraestruturas, bem como problemas de manutenção dos edifícios.

No domingo passado, pelo menos 17 pessoas morreram e um número indeterminado de pessoas ainda está desaparecido devido às fortes enchentes na capital do Maharashtra, Mumbai.

O ministro da Ajuda e Reabilitação de Maharashtra, Vijay Wadettiwar, confirmou hoje a morte de 138 pessoas, devido às fortes chuvas que nos últimos dias afectaram vários distritos do seu estado, especialmente nas zonas rurais de Raigad e Konkan, que obrigaram ao envio de forças especiais de resgate.

"Devido à tempestade, há enormes danos em Konkan. Nesta situação crítica, as autoridades estão a trabalhar sem parar para colocar os cidadãos em segurança", disse Wadettiwar, que referiu ainda que quase 100 mil pessoas tiveram de ser retiradas das suas habitações.

No distrito de Raigad, onde os próprios habitantes participam da recuperação dos corpos e colaboram na busca dos desaparecidos, "a situação é gravíssima", informou Devendra Fadnavis, uma responsável dos serviços de emergência locais.

O transbordamento dos rios tem causado inundações em várias localidades, arrastando viaturas e motorizadas e deixando casas parcialmente submersas.

Entre os que participaram na operação de resgate estão o Exército, a Marinha, a Guarda Costeira e a Força Nacional de Resposta a Desastres (Protecção Civil), informou o Ministério da Defesa, que utilizou helicópteros na acção de auxílio e ajuda.

Entretanto, o primeiro-ministro Narendra Modi escreveu, a propósito da catástrofe, no Twitter: "A situação em Maharashtra, devido às fortes chuvadas, está a ser acompanhada de perto e assistência está a ser fornecida aos afectados".

De acordo com as previsões do Departamento de Meteorologia Indiano, as chuvas começarão a perder intensidade a partir de domingo.

As inundações e os deslizamentos de terra são frequentes durante a temporada de monções na Índia, assim como o colapso de prédios devido a deficiências em infraestruturas, bem como problemas de manutenção dos edifícios.

No domingo passado, pelo menos 17 pessoas morreram e um número indeterminado de pessoas ainda está desaparecido devido às fortes enchentes na capital do Maharashtra, Mumbai.