Balanço de mortos em dois atentados sobe para 34 no Afeganistão

Cabul - O balanço de mortos em dois atentados suicidas ocorrido hoje no Afeganistão subiu para 34 pessoas, divulgaram as autoridades afegãs.

Na província oriental de Ghazni, 31 soldados morreram e outros 24 ficaram feridos depois de um carro armadilhado embater contra um quartel do exército, apurou a Associated Press (AP) junto de um oficial do conselho de segurança nacional do Afeganistão, sob condição de anonimato.

O ataque também foi confirmado pelo porta-voz do Ministério do Interior afegão, Tariq Arian, embora não tenha fornecido detalhes sobre as vítimas.

No sul do Afeganistão, uma viatura armadilhada teve como alvo o comboio de um líder do conselho provincial em Zubal, matando pelo menos três pessoas e ferindo outras 12, incluindo crianças.

O responsável em questão, Attajan Haqbayat, sobreviveu ao ataque com ferimentos leves, embora um dos seus guarda-costas estivesse entre os mortos, confirmou o porta-voz da polícia local, Hikmatullah Kochai.

Ainda não houve reivindicações sobre a responsabilidade pelos ataques.

Os atentados acontecem no momento em que representantes do Governo afegão e o grupo extremista talibã mantêm conversações no Catar para terminar a guerra no país que já dura anos.

 

Na província oriental de Ghazni, 31 soldados morreram e outros 24 ficaram feridos depois de um carro armadilhado embater contra um quartel do exército, apurou a Associated Press (AP) junto de um oficial do conselho de segurança nacional do Afeganistão, sob condição de anonimato.

O ataque também foi confirmado pelo porta-voz do Ministério do Interior afegão, Tariq Arian, embora não tenha fornecido detalhes sobre as vítimas.

No sul do Afeganistão, uma viatura armadilhada teve como alvo o comboio de um líder do conselho provincial em Zubal, matando pelo menos três pessoas e ferindo outras 12, incluindo crianças.

O responsável em questão, Attajan Haqbayat, sobreviveu ao ataque com ferimentos leves, embora um dos seus guarda-costas estivesse entre os mortos, confirmou o porta-voz da polícia local, Hikmatullah Kochai.

Ainda não houve reivindicações sobre a responsabilidade pelos ataques.

Os atentados acontecem no momento em que representantes do Governo afegão e o grupo extremista talibã mantêm conversações no Catar para terminar a guerra no país que já dura anos.