Turquia é capaz de reverter consequências do embargo de armas, diz Erdogan

Ancara - O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, declarou nesta quinta-feira que o país fez conquistas significativas no desenvolvimento da indústria de defesa e é capaz de superar as consequências de um embargo de armas.

De acordo com o líder turco, em 2002, o país completou 62 projectos de defesa, e hoje esse número chega a 700, aumentando o orçamento militar de 5,5 biliões de dólares para 60 biliões.

"Sete empresas turcas estão na lista das maiores empresas de defesa do mundo. A Turquia é capaz de superar todas as dificuldades criadas por fornecedores estrangeiros: os seus embargos ocultos e abertos", disse Erdogan.

Ele ressaltou que a Turquia conseguiu lançar a produção de câmaras para drones depois que o Canadá impôs um embargo de armas a Ancara por seu envolvimento no conflito em Nagorno-Karabakh.

​No mês passado, os EUA afirmaram que haveria "sérias consequências" para a "relação de segurança" entre os EUA e a Turquia se Ancara continuasse com as suas actividades de teste envolvendo sistemas de defesa aérea projectados pela Rússia.

Em 2019, Washington expulsou Ancara do programa dos caças F-35 depois que a Turquia decidiu comprar o sistema de defesa aérea S-400, assinando um contrato de 2,5 biliões de dólares com a Rússia em 2017, o que contribuiu para uma deterioração acentuada nas relações EUA-Turquia.

De acordo com o líder turco, em 2002, o país completou 62 projectos de defesa, e hoje esse número chega a 700, aumentando o orçamento militar de 5,5 biliões de dólares para 60 biliões.

"Sete empresas turcas estão na lista das maiores empresas de defesa do mundo. A Turquia é capaz de superar todas as dificuldades criadas por fornecedores estrangeiros: os seus embargos ocultos e abertos", disse Erdogan.

Ele ressaltou que a Turquia conseguiu lançar a produção de câmaras para drones depois que o Canadá impôs um embargo de armas a Ancara por seu envolvimento no conflito em Nagorno-Karabakh.

​No mês passado, os EUA afirmaram que haveria "sérias consequências" para a "relação de segurança" entre os EUA e a Turquia se Ancara continuasse com as suas actividades de teste envolvendo sistemas de defesa aérea projectados pela Rússia.

Em 2019, Washington expulsou Ancara do programa dos caças F-35 depois que a Turquia decidiu comprar o sistema de defesa aérea S-400, assinando um contrato de 2,5 biliões de dólares com a Rússia em 2017, o que contribuiu para uma deterioração acentuada nas relações EUA-Turquia.