Biden apresenta equipa científica e garante liderar com verdade

  • Bandeira USA
Washington - O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, criou um cargo executivo na sua equipa dedicado à ciência, uma novidade na Casa Branca, e assegurou hoje que a sua equipa de consultores científicos vai liderar com "ciência e verdade".

"Acreditamos em ambos", afirmou Joe Biden, que toma posse na quarta-feira como o 46.º Presidente dos Estados Unidos da América.

Biden elevou a posição de consultor científico ao nível executivo e chamou Eric Lander, pioneiro no mapeamento do genoma humano, para director do Escritório de Política de Ciência e Tecnologia, considerando que o responsável é "uma das pessoas mais brilhantes" que conhece.

A vice-presidente eleita, Kamala Harris, recordou a sua falecida mãe, Shyamala Gopalan Harris, uma investigadora do cancro, que a ensinou a pensar criticamente.

"A ciência por trás das mudanças climáticas não é uma farsa. A ciência por trás do vírus não é partidária", disse Harris.

"As mesmas leis aplicam-se, a mesma evidência é válida independentemente de a aceitarmos ou não", acrescentou.

Os Estados Unidos continuam a ser o país mais afectado pela covid-19 a nível global, tanto em número de mortos como de casos, com um total de 392.139 mortes entre 23.532.037 casos recenseados, segundo o último balanço da universidade norte-americana Johns Hopkins.

"Acreditamos em ambos", afirmou Joe Biden, que toma posse na quarta-feira como o 46.º Presidente dos Estados Unidos da América.

Biden elevou a posição de consultor científico ao nível executivo e chamou Eric Lander, pioneiro no mapeamento do genoma humano, para director do Escritório de Política de Ciência e Tecnologia, considerando que o responsável é "uma das pessoas mais brilhantes" que conhece.

A vice-presidente eleita, Kamala Harris, recordou a sua falecida mãe, Shyamala Gopalan Harris, uma investigadora do cancro, que a ensinou a pensar criticamente.

"A ciência por trás das mudanças climáticas não é uma farsa. A ciência por trás do vírus não é partidária", disse Harris.

"As mesmas leis aplicam-se, a mesma evidência é válida independentemente de a aceitarmos ou não", acrescentou.

Os Estados Unidos continuam a ser o país mais afectado pela covid-19 a nível global, tanto em número de mortos como de casos, com um total de 392.139 mortes entre 23.532.037 casos recenseados, segundo o último balanço da universidade norte-americana Johns Hopkins.