Brasil: Supremo considera que Moro foi parcial ao condenar Lula no caso Tríplex

  • Presidente do Brasil Lula da Silva
Brasília - O Supremo Tribunal Federal do Brasil (STF) declarou esta terça-feira que antigo juiz do caso Lava-Jato, Sérgio Moro, foi parcial na condução do processo do tríplex do Guarujá, em São Paulo, que culminou na condenação de Lula da Silva, avança o jornal O Globo.

A decisão do STF de declarar Moro parcial contou com três votos a favor e dois votos contra.

O voto da juíza Cármen Lúcia revelou-se decisivo e representou uma mudança face ao seu voto em 2018. Na altura, a magistrada votou para considerar Sérgio Moro imparcial, rejeitando o pedido da defesa de Lula.

Desta feita, Cármen Lúcia observou que se verificou prejuízo ao direito de defesa. Entre os motivos que apresentou para justificar a sua decisão, a juíza falou em escutas em chamadas "ao arrepio da lei" antes de serem adoptadas outras medidas e na divulgação seletiva dos áudios gravados.

A decisão tomada hoje pelo STF vai implicar a anulação das provas do caso Tríplex, e até pode implicar outras anulações no âmbito do caso Lava-Jato.

A decisão do STF de declarar Moro parcial contou com três votos a favor e dois votos contra.

O voto da juíza Cármen Lúcia revelou-se decisivo e representou uma mudança face ao seu voto em 2018. Na altura, a magistrada votou para considerar Sérgio Moro imparcial, rejeitando o pedido da defesa de Lula.

Desta feita, Cármen Lúcia observou que se verificou prejuízo ao direito de defesa. Entre os motivos que apresentou para justificar a sua decisão, a juíza falou em escutas em chamadas "ao arrepio da lei" antes de serem adoptadas outras medidas e na divulgação seletiva dos áudios gravados.

A decisão tomada hoje pelo STF vai implicar a anulação das provas do caso Tríplex, e até pode implicar outras anulações no âmbito do caso Lava-Jato.