Brexit: Negociações retomam domingo em Bruxelas

  • Mapa del Reino Unido
Londres - As negociações pós-Brexit entre o Reino Unido e a União Europeia (UE) vão ser retomadas no domingo em Bruxelas, anunciaram hoje o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, e a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

Os dois representantes reuniram-se hoje para analisar o actual estado das negociações para um acordo de comércio pós-Brexit (como ficou conhecido o processo de saída do Reino Unido do bloco comunitário), que foram suspensas na sexta-feira.

Apesar de reconhecerem "a magnitude das diferenças" que persistem, Boris Johnson e Ursula von der Leyen consideraram que um "esforço suplementar deve ser feito" pelos negociadores para determinar se estas diferenças podem ser "resolvidas", indicou um comunicado conjunto divulgado por Downing Street (o gabinete do primeiro-ministro britânico).

Os dois representantes indicaram mais uma vez que "diferenças importantes" permanecem em três grandes áreas: concorrência, mecanismo de resolução de litígios e pescas.

A mesma nota referiu que os dois líderes vão voltar a reunir-se segunda-feira à noite.

Na sexta-feira, o chefe da delegação da UE para o 'Brexit', Michel Barnier, anunciou que as conversações tinham sido interrompidas para que as duas delegações pudessem informar os respectivos líderes políticos sobre o impasse nas negociações.

Na mesma ocasião, Barnier assegurou que não existiam condições, naquele momento, para se chegar a um acordo e que permaneciam as divergências com o Reino Unido após meses de intensas negociações.

Também na sexta-feira, um porta-voz do primeiro-ministro britânico afirmou que as negociações entre o Reino Unido e a UE estavam "num momento difícil".

O negociador-chefe da UE, Michel Barnier, e o homólogo britânico, David Frost, e respectivas equipas, estiveram ao longo da semana em discussões num centro de conferências em Londres para tentar negociar um novo acordo de comércio livre que terá de entrar em vigor em 01 de Janeiro.

A fase de transição que foi negociada após a saída formal do Reino Unido da UE, a 31 de Janeiro deste ano, e que manteve o acesso do país às estruturas europeias e ao mercado único europeu termina a 31 de Dezembro.

As negociações ultrapassaram todos os prazos previstos.

O Presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, observou, entretanto, que não é a primeira vez que os prazos expiraram.

"Vamos aguentar até ao último momento, até ao último segundo deste processo, para assegurar a unidade entre nós", declarou Charles Michel.

Na ausência de um acordo, as relações económicas e comerciais entre o Reino Unido e a UE (incluindo o Estado-membro da UE e 'vizinha' Irlanda) passam a ser regidas pelas regras da Organização Mundial do Comércio (OMC) e com a aplicação de vários controlos alfandegários e regulatórios.

Os dois representantes reuniram-se hoje para analisar o actual estado das negociações para um acordo de comércio pós-Brexit (como ficou conhecido o processo de saída do Reino Unido do bloco comunitário), que foram suspensas na sexta-feira.

Apesar de reconhecerem "a magnitude das diferenças" que persistem, Boris Johnson e Ursula von der Leyen consideraram que um "esforço suplementar deve ser feito" pelos negociadores para determinar se estas diferenças podem ser "resolvidas", indicou um comunicado conjunto divulgado por Downing Street (o gabinete do primeiro-ministro britânico).

Os dois representantes indicaram mais uma vez que "diferenças importantes" permanecem em três grandes áreas: concorrência, mecanismo de resolução de litígios e pescas.

A mesma nota referiu que os dois líderes vão voltar a reunir-se segunda-feira à noite.

Na sexta-feira, o chefe da delegação da UE para o 'Brexit', Michel Barnier, anunciou que as conversações tinham sido interrompidas para que as duas delegações pudessem informar os respectivos líderes políticos sobre o impasse nas negociações.

Na mesma ocasião, Barnier assegurou que não existiam condições, naquele momento, para se chegar a um acordo e que permaneciam as divergências com o Reino Unido após meses de intensas negociações.

Também na sexta-feira, um porta-voz do primeiro-ministro britânico afirmou que as negociações entre o Reino Unido e a UE estavam "num momento difícil".

O negociador-chefe da UE, Michel Barnier, e o homólogo britânico, David Frost, e respectivas equipas, estiveram ao longo da semana em discussões num centro de conferências em Londres para tentar negociar um novo acordo de comércio livre que terá de entrar em vigor em 01 de Janeiro.

A fase de transição que foi negociada após a saída formal do Reino Unido da UE, a 31 de Janeiro deste ano, e que manteve o acesso do país às estruturas europeias e ao mercado único europeu termina a 31 de Dezembro.

As negociações ultrapassaram todos os prazos previstos.

O Presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, observou, entretanto, que não é a primeira vez que os prazos expiraram.

"Vamos aguentar até ao último momento, até ao último segundo deste processo, para assegurar a unidade entre nós", declarou Charles Michel.

Na ausência de um acordo, as relações económicas e comerciais entre o Reino Unido e a UE (incluindo o Estado-membro da UE e 'vizinha' Irlanda) passam a ser regidas pelas regras da Organização Mundial do Comércio (OMC) e com a aplicação de vários controlos alfandegários e regulatórios.