Camboja anuncia início da extracção de petróleo em águas territoriais

  • Plataforma de Petróleo
Phnom Penh - O primeiro-ministro do Camboja, Hun Sen, anunciou hoje que o reino extraiu pela primeira vez petróleo em águas territoriais, uma actividade há muito esperada num dos países mais desfavorecidos do sudeste asiático.

"A primeira gota de petróleo foi produzida" disse Hun Sem, frisando que se trata "de um novo sucesso para a economia do Camboja".    

"O ano 2021 chega (...) e nós recebemos um grande presente para o nosso país: a primeira produção de petróleo no nosso território", acrescentou o primeiro-ministro numa mensagem difundida na página que mantém na plataforma digital Facebook. 

Hun Sen, no poder há 35 anos, na mesma mensagem defende as vantagens deste tipo de produção afastando "as inquietações" sobre "a nova riqueza". 

"É uma bênção para os cambojanos", afirmou acrescentando "que não é uma maldição como alguns dizem".  

O crude foi extraído de uma zona situada ao largo da costa de Sihanoukville, no sul do país. 

A Tailândia e a Malásia, países vizinhos, exploram desde os anos 1980 os recursos de hidrocarbonetos no Golfo da Tailândia. 

O Camboja atrasou-se na extracção de crude apesar do gigante petrolífero norte-americano Chevron ter identificado as primeiras reservas em 2005. 

O governo do Camboja e a Chevron nunca chegaram a acordo sobre a exploração tendo Phnom Penh assinado um contrato com a empresa de Singapura, KrisEnergy que detém actualmente 95% da concessão.

O resto da extracção pertence ao governo do Camboja.

A companhia de Singapura prevê inicialmente uma produção capaz de atingir os 7.500 barris por dia, um valor modesto comparado com os níveis de extracção da Tailândia ou do Vietname. 

Mesmo assim, as receitas podem ser significativas para o governo que estimou em 2017 que pode arrecadar pelo menos 409 milhões de euros em royalties durante a primeira fase do projecto.

Após a descoberta das reservas, pela Chevron, o Camboja estimou que as reservas submarinas têm capacidade para extrair centenas de milhares de barris em seis zonas distintas. 

"A primeira gota de petróleo foi produzida" disse Hun Sem, frisando que se trata "de um novo sucesso para a economia do Camboja".    

"O ano 2021 chega (...) e nós recebemos um grande presente para o nosso país: a primeira produção de petróleo no nosso território", acrescentou o primeiro-ministro numa mensagem difundida na página que mantém na plataforma digital Facebook. 

Hun Sen, no poder há 35 anos, na mesma mensagem defende as vantagens deste tipo de produção afastando "as inquietações" sobre "a nova riqueza". 

"É uma bênção para os cambojanos", afirmou acrescentando "que não é uma maldição como alguns dizem".  

O crude foi extraído de uma zona situada ao largo da costa de Sihanoukville, no sul do país. 

A Tailândia e a Malásia, países vizinhos, exploram desde os anos 1980 os recursos de hidrocarbonetos no Golfo da Tailândia. 

O Camboja atrasou-se na extracção de crude apesar do gigante petrolífero norte-americano Chevron ter identificado as primeiras reservas em 2005. 

O governo do Camboja e a Chevron nunca chegaram a acordo sobre a exploração tendo Phnom Penh assinado um contrato com a empresa de Singapura, KrisEnergy que detém actualmente 95% da concessão.

O resto da extracção pertence ao governo do Camboja.

A companhia de Singapura prevê inicialmente uma produção capaz de atingir os 7.500 barris por dia, um valor modesto comparado com os níveis de extracção da Tailândia ou do Vietname. 

Mesmo assim, as receitas podem ser significativas para o governo que estimou em 2017 que pode arrecadar pelo menos 409 milhões de euros em royalties durante a primeira fase do projecto.

Após a descoberta das reservas, pela Chevron, o Camboja estimou que as reservas submarinas têm capacidade para extrair centenas de milhares de barris em seis zonas distintas.