China aumenta importações de petróleo do Irão e Venezuela

  • Mapa da República Popular da  China
Nova Iorque - A China aumentou significativamente as importações de petróleo do Irão e da Venezuela, escreveu na sexta-feira o Wall Street Journal.

"A China aumentou bruscamente as importações de petróleo do Irão e da Venezuela num desafio a duas prioridades da política externa da administração Biden, de acordo com autoridades dos EUA, minando uma alavanca-chave diplomática que Washington precisa para reiniciar as negociações há muito tempo paradas", escreve a mídia.

A China deverá importar 918.000 barris de petróleo iraniano por dia em Março, o que seria o maior volume desde a imposição do embargo norte-americano a Teerão em 2018, segundo a empresa de análise Kpler, citada pelo Wall Street Journal.

Alguns rastreadores de transportes confirmam esta tendência, estimando o volume de tais vendas num milhão de barris por dia.

"Se vender um milhão de barris por dia a preços actuais, o Irã não tem incentivo para negociar", comentou Sara Vakhshouri, presidente da empresa de consultoria SVB Energy International dos EUA e especialista em indústria petrolífera iraniana.

Na segunda-feira, Eshaq Jahangiri, primeiro vice-presidente do Irão, disse que as exportações de petróleo de Teerão aumentaram nos últimos meses.

"Havia certos problemas com transferências de dinheiro. Por isso, tivemos que apresentar certos planos, métodos para trazer as receitas de exportação de petróleo, e recentemente tivemos um avanço", revelou, citado pela agência iraniana IRNA.

"A China aumentou bruscamente as importações de petróleo do Irão e da Venezuela num desafio a duas prioridades da política externa da administração Biden, de acordo com autoridades dos EUA, minando uma alavanca-chave diplomática que Washington precisa para reiniciar as negociações há muito tempo paradas", escreve a mídia.

A China deverá importar 918.000 barris de petróleo iraniano por dia em Março, o que seria o maior volume desde a imposição do embargo norte-americano a Teerão em 2018, segundo a empresa de análise Kpler, citada pelo Wall Street Journal.

Alguns rastreadores de transportes confirmam esta tendência, estimando o volume de tais vendas num milhão de barris por dia.

"Se vender um milhão de barris por dia a preços actuais, o Irã não tem incentivo para negociar", comentou Sara Vakhshouri, presidente da empresa de consultoria SVB Energy International dos EUA e especialista em indústria petrolífera iraniana.

Na segunda-feira, Eshaq Jahangiri, primeiro vice-presidente do Irão, disse que as exportações de petróleo de Teerão aumentaram nos últimos meses.

"Havia certos problemas com transferências de dinheiro. Por isso, tivemos que apresentar certos planos, métodos para trazer as receitas de exportação de petróleo, e recentemente tivemos um avanço", revelou, citado pela agência iraniana IRNA.