Cimeira extraordinária na ONU a 03 e 04 de Dezembro

  • Ilustração do  Covid-19
Nova Iorque - A Assembleia-Geral da ONU decidiu hoje organizar uma cimeira extraordinária sobre a pandemia de covid-19 a 03 e 04 de Dezembro em Nova Iorque, para reforçar a coordenação internacional, que se deverá realizar sobretudo virtualmente.

Discutida desde Junho por iniciativa do Movimento dos Países Não-alinhados, a cimeira é convocada a nível dos chefes de Estado e de governo, precisa uma resolução aprovada por 150 dos 193 países da Assembleia-Geral.

Não houve votos contra, mas abstiveram-se três países: Estados Unidos, Israel e Arménia.

Os dirigentes podem apresentar uma declaração pré-gravada de cinco minutos, que será divulgada na sala da Assembleia-Geral, após uma introdução do seu representante presente na sala, indica o texto.

Devido ao confinamento de 14 dias imposto aos visitantes estrangeiros pela cidade de Nova Iorque, é pouco provável a presença física de chefe de Estados e este modelo de cimeira semi-virtual já foi utilizado pela ONU para a sua Assembleia-Geral anual em Setembro.

Desde o início da pandemia, os 193 Estados membros das Nações Unidas aprovaram quatro resoluções acerca do assunto: a 02 de Abril sobre a solidariedade mundial, a 20 de Abril sobre a cooperação no acesso mundial aos medicamentos e vacinas e a 11 de Setembro sobre uma acção global e coordenada e uma resposta unida face às ameaças sanitárias mundiais.

O Conselho de Segurança, por seu turno, devido a uma crescente rivalidade sino-americana, apenas aprovou uma resolução a 01 de Julho, apelando ao fim dos combates nos países em guerra para facilitar a luta contra a pandemia.

Discutida desde Junho por iniciativa do Movimento dos Países Não-alinhados, a cimeira é convocada a nível dos chefes de Estado e de governo, precisa uma resolução aprovada por 150 dos 193 países da Assembleia-Geral.

Não houve votos contra, mas abstiveram-se três países: Estados Unidos, Israel e Arménia.

Os dirigentes podem apresentar uma declaração pré-gravada de cinco minutos, que será divulgada na sala da Assembleia-Geral, após uma introdução do seu representante presente na sala, indica o texto.

Devido ao confinamento de 14 dias imposto aos visitantes estrangeiros pela cidade de Nova Iorque, é pouco provável a presença física de chefe de Estados e este modelo de cimeira semi-virtual já foi utilizado pela ONU para a sua Assembleia-Geral anual em Setembro.

Desde o início da pandemia, os 193 Estados membros das Nações Unidas aprovaram quatro resoluções acerca do assunto: a 02 de Abril sobre a solidariedade mundial, a 20 de Abril sobre a cooperação no acesso mundial aos medicamentos e vacinas e a 11 de Setembro sobre uma acção global e coordenada e uma resposta unida face às ameaças sanitárias mundiais.

O Conselho de Segurança, por seu turno, devido a uma crescente rivalidade sino-americana, apenas aprovou uma resolução a 01 de Julho, apelando ao fim dos combates nos países em guerra para facilitar a luta contra a pandemia.