Cimeira Rússia e EUA "não vai ser fácil" – Alerta porta-voz do PR russo

Moscovo - O porta-voz do Presidente russo, Dmitry Peskov, advertiu hoje, em Moscovo, que as conversações entre Vladimir Putin (da Rússia), e Joe Biden (dos EUA) "não vão ser fáceis" e que não devem ser aguardados avanços.

Falando ao Notícias ao Minutos, a poucas horas da cimeira entre a Rússia e os Estados Unidos, em Genebra, Dmitry Peskov disse que os pontos da agenda "são muito problemáticos".

"Temos muitas questões que têm sido negligenciadas há muito tempo e que precisam de ser analisadas. É por isso que o Presidente Putin vai fazer perguntas - com uma atitude franca e construtiva - para encontrar soluções", disse Peskov.

O porta-voz sublinhou, no entanto, que este dia pode não se tornar histórico e não se  devem esperar avanços. A situação é muito difícil no que diz respeito às relações entre a Rússia e os Estados Unidos.

Adiantou que, no encontro bilateral, a Rússia quer discutir a "estabilidade estratégica", o controlo de armamento, a cooperação em conflitos regionais, a cooperação em relação à pandemia e às alterações climáticas. 

A cimeira vai decorrer na cidade suíça de Genebra e será o ponto culminante da primeira deslocação de Biden à Europa, num momento em que se acentuaram as tensões entre a Rússia e o Ocidente.

Falando ao Notícias ao Minutos, a poucas horas da cimeira entre a Rússia e os Estados Unidos, em Genebra, Dmitry Peskov disse que os pontos da agenda "são muito problemáticos".

"Temos muitas questões que têm sido negligenciadas há muito tempo e que precisam de ser analisadas. É por isso que o Presidente Putin vai fazer perguntas - com uma atitude franca e construtiva - para encontrar soluções", disse Peskov.

O porta-voz sublinhou, no entanto, que este dia pode não se tornar histórico e não se  devem esperar avanços. A situação é muito difícil no que diz respeito às relações entre a Rússia e os Estados Unidos.

Adiantou que, no encontro bilateral, a Rússia quer discutir a "estabilidade estratégica", o controlo de armamento, a cooperação em conflitos regionais, a cooperação em relação à pandemia e às alterações climáticas. 

A cimeira vai decorrer na cidade suíça de Genebra e será o ponto culminante da primeira deslocação de Biden à Europa, num momento em que se acentuaram as tensões entre a Rússia e o Ocidente.