Conselho de Segurança discute disparos de míssies da Coreia do Norte

  • Bandeira da ONU
Bruxelas - Os membros europeus do Conselho de Segurança da ONU pediram uma reunião na terça-feira sobre os últimos disparos de mísseis da Coreia do Norte, disseram fontes diplomáticas.

Esta reunião, a pedido de França, Estónia, Irlanda, Noruega e Reino Unido, deverá realizar-se a meio do dia e à porta fechada, acrescentaram na sexta-feira fontes diplomáticas, citadas pela agência de notícias France-Presse.

Na sexta-feira de manhã (hora local) e por iniciativa dos Estados Unidos, o comité de sanções da ONU encarregado da Coreia do Norte e que integra os 15 países-membros do Conselho de Segurança, tinha pedido ao grupo de peritos da ONU para investigar os disparos de mísseis norte-coreanos ocorridos na quinta-feira, de acordo com diplomatas.

A ONU aplicou várias sanções económicas, nomeadamente sobre as importações norte-coreanas de petróleo e sobre as exportações de carvão, têxteis e pesca, para obrigar Pyongyang a suspender os programas de armamento balístico e nuclear.

Também na sexta-feira, o regime norte-coreano anunciou ter disparado na véspera um novo modelo de "projéctil táctico guiado".

Dois exemplares deste projéctil foram lançados e estes ensaios podem constituir uma violação das resoluções da ONU.

Esta reunião, a pedido de França, Estónia, Irlanda, Noruega e Reino Unido, deverá realizar-se a meio do dia e à porta fechada, acrescentaram na sexta-feira fontes diplomáticas, citadas pela agência de notícias France-Presse.

Na sexta-feira de manhã (hora local) e por iniciativa dos Estados Unidos, o comité de sanções da ONU encarregado da Coreia do Norte e que integra os 15 países-membros do Conselho de Segurança, tinha pedido ao grupo de peritos da ONU para investigar os disparos de mísseis norte-coreanos ocorridos na quinta-feira, de acordo com diplomatas.

A ONU aplicou várias sanções económicas, nomeadamente sobre as importações norte-coreanas de petróleo e sobre as exportações de carvão, têxteis e pesca, para obrigar Pyongyang a suspender os programas de armamento balístico e nuclear.

Também na sexta-feira, o regime norte-coreano anunciou ter disparado na véspera um novo modelo de "projéctil táctico guiado".

Dois exemplares deste projéctil foram lançados e estes ensaios podem constituir uma violação das resoluções da ONU.