Coreia do Norte quer negociar com Coreia do Sul fim da guerra de 71 anos

Pyongyang - A alta funcionária norte-coreana, Kim Yo-jong, afirmou, este sábado, que a Coreia do Norte está pronta para uma nova cimeira com a Coreia do Sul para negociar um tratado de paz que encerre formalmente a Guerra da Coreia (1950-1953).

"Eu acho que apenas quando a imparcialidade e a atitude de respeito mútuo forem mantidas pode haver um entendimento tranquilo entre o Norte e o Sul", disse Kim, acrescentando que as pessoas de ambos os países compartilham o desejo de paz.

"Senti que a atmosfera do público sul-coreano que deseja recuperar as relações inter-coreanas de um impasse e atingir a estabilidade pacífica o mais rápido possível é irresistivelmente forte", sublinhou Kim. "Nós também temos o mesmo desejo."

Sexta-feira (24), Kim Yo-jong destacou que é preciso entender se agora é o momento certo e se todas as condições são satisfeitas para discutir a declaração do fim do estado de guerra.

O presidente sul-coreano, Moon Jae-in, no seu discurso nesta terça-feira (21) na 76ª Assembleia Geral da ONU, voltou a propor o anúncio do fim da guerra na península da Coreia com apoio dos Estados Unidos e da China.

Moon disse que a Coreia do Sul está totalmente disposta a alcançar a paz duradoura na península.

As duas Coreias permanecem tecnicamente em estado de guerra, dado que a Guerra da Coreia de 1950-1953 terminou com um cessar-fogo em vez de um tratado de paz.

"Eu acho que apenas quando a imparcialidade e a atitude de respeito mútuo forem mantidas pode haver um entendimento tranquilo entre o Norte e o Sul", disse Kim, acrescentando que as pessoas de ambos os países compartilham o desejo de paz.

"Senti que a atmosfera do público sul-coreano que deseja recuperar as relações inter-coreanas de um impasse e atingir a estabilidade pacífica o mais rápido possível é irresistivelmente forte", sublinhou Kim. "Nós também temos o mesmo desejo."

Sexta-feira (24), Kim Yo-jong destacou que é preciso entender se agora é o momento certo e se todas as condições são satisfeitas para discutir a declaração do fim do estado de guerra.

O presidente sul-coreano, Moon Jae-in, no seu discurso nesta terça-feira (21) na 76ª Assembleia Geral da ONU, voltou a propor o anúncio do fim da guerra na península da Coreia com apoio dos Estados Unidos e da China.

Moon disse que a Coreia do Sul está totalmente disposta a alcançar a paz duradoura na península.

As duas Coreias permanecem tecnicamente em estado de guerra, dado que a Guerra da Coreia de 1950-1953 terminou com um cessar-fogo em vez de um tratado de paz.