Covid-19: Balanço contabiliza 3.813.994 mortes desde o início da pandemia

  • Ilustração do Covid-19
Paris - A pandemia do novo coronavírus fez pelo menos 3.813.994 mortos em todo o mundo desde que a doença foi detectada na China em finais de Dezembro de 2019, de acordo com o balanço da France-Presse.

Mais de 176.171.260 casos de infecção foram oficialmente diagnosticados desde o início da pandemia.


Estes valores têm como base os balanços comunicados diariamente pelas autoridades sanitárias dos vários países, mas excluem as revisões realizadas posteriormente por alguns organismos estatísticos.


A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima, tendo em conta a mortalidade direta ou indirecta relacionada com o covid-19, que o balanço da pandemia pode ser duas ou três vezes mais elevado do que é oficialmente recenseado.


Uma parte relevante dos casos menos graves ou assintomáticos continua por detetar, apesar de os meios de despistagem terem sido incrementados em muitos países em todo o mundo.


Na segunda-feira lamenta-se a morte de 8.896 pessoas por SARS CoV-2 e contabilizaram-se 311.632 casos, a nível global.


Os países que registaram mais mortes por covid-19 nos últimos balanços foram a Índia com 2.726 óbitos, o Brasil (827) e a Argentina (686).
Os Estados Unidos são o país mais afectado tanto em número de mortos como no número de infecções, com 599.945 óbitos e 33.474.765 infeções, de acordo com a contagem da universidade Johns Hopkins.


Depois dos Estados Unidos, os países mais atingidos pela doença são o Brasil com 488.228 mortos e 17.452.612 casos, Índia com 377.031 óbitos (29.570.881 casos), o México com 230.187 mortos (2.455.351 infecções) e o Peru com 188.921 mortos (2.004.252 casos).


Entre os países mais duramente atingidos, o Peru é o que lamenta o maior número de mortos tendo em conta a população, com 573 mortos por 100 mil habitantes, seguido pela Hungria (310), a Bósnia (289), a República Checa (282) e a Macedónia do Norte (263).


A América Latina e as Caraíbas totalizam 1.212.922 mortos e 35.127.289 casos, a Europa com 1.152.226 mortos (53.653.752 casos), os Estados Unidos e o Canadá com 625.884 mortos (34.877.603 casos), a Ásia com 540.460 mortos (38.478.717 casos), o Médio Oriente com 146.402 mortos (8.921.286 infectados), África com 134.995 mortos (5.062.080 casos e a Oceânia com 1.105 mortos (50.536 casos).


Este balanço foi realizado a partir de dados recolhidos pelas delegações da AFP junto das autoridades nacionais competentes e de informações da OMS.


Devido a correcções e publicações tardias por parte das autoridades os números relativos ao aumento dos valores nas últimas 24 horas podem não corresponder exatamente aos que foram publicados no dia anterior.
 

 

Mais de 176.171.260 casos de infecção foram oficialmente diagnosticados desde o início da pandemia.


Estes valores têm como base os balanços comunicados diariamente pelas autoridades sanitárias dos vários países, mas excluem as revisões realizadas posteriormente por alguns organismos estatísticos.


A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima, tendo em conta a mortalidade direta ou indirecta relacionada com o covid-19, que o balanço da pandemia pode ser duas ou três vezes mais elevado do que é oficialmente recenseado.


Uma parte relevante dos casos menos graves ou assintomáticos continua por detetar, apesar de os meios de despistagem terem sido incrementados em muitos países em todo o mundo.


Na segunda-feira lamenta-se a morte de 8.896 pessoas por SARS CoV-2 e contabilizaram-se 311.632 casos, a nível global.


Os países que registaram mais mortes por covid-19 nos últimos balanços foram a Índia com 2.726 óbitos, o Brasil (827) e a Argentina (686).
Os Estados Unidos são o país mais afectado tanto em número de mortos como no número de infecções, com 599.945 óbitos e 33.474.765 infeções, de acordo com a contagem da universidade Johns Hopkins.


Depois dos Estados Unidos, os países mais atingidos pela doença são o Brasil com 488.228 mortos e 17.452.612 casos, Índia com 377.031 óbitos (29.570.881 casos), o México com 230.187 mortos (2.455.351 infecções) e o Peru com 188.921 mortos (2.004.252 casos).


Entre os países mais duramente atingidos, o Peru é o que lamenta o maior número de mortos tendo em conta a população, com 573 mortos por 100 mil habitantes, seguido pela Hungria (310), a Bósnia (289), a República Checa (282) e a Macedónia do Norte (263).


A América Latina e as Caraíbas totalizam 1.212.922 mortos e 35.127.289 casos, a Europa com 1.152.226 mortos (53.653.752 casos), os Estados Unidos e o Canadá com 625.884 mortos (34.877.603 casos), a Ásia com 540.460 mortos (38.478.717 casos), o Médio Oriente com 146.402 mortos (8.921.286 infectados), África com 134.995 mortos (5.062.080 casos e a Oceânia com 1.105 mortos (50.536 casos).


Este balanço foi realizado a partir de dados recolhidos pelas delegações da AFP junto das autoridades nacionais competentes e de informações da OMS.


Devido a correcções e publicações tardias por parte das autoridades os números relativos ao aumento dos valores nas últimas 24 horas podem não corresponder exatamente aos que foram publicados no dia anterior.