Covid-19: Espanha proíbe viagens entre comunidades no Natal excepto para reuniões familiares

Madrid – O Governo central e as comunidades autónomas espanholas chegaram hoje a acordo sobre o plano para travar os contágios de covid-19 durante o Natal que inclui a proibição de viajar entre regiões, com excepção das reuniões familiares, noticiou a Lusa.

As medidas preveem também que as refeições não podem ter mais do que 10 pessoas e que o início do atual recolher obrigatório diário é atrasado para as 01:30 da madrugada no dia de Natal e no de Ano Novo.


Estas medidas mínimas são de aplicação obrigatória, podendo as 17 comunidades autónomas acrescentar outras mais rígidas.
Todos os representantes regionais, excepto o de Madrid, que votou contra, e o da Catalunha, que se absteve, apoiaram as medidas propostas pelo Ministério da Saúde.


Durante a conferência de imprensa que se seguiu à reunião do Conselho Interterritorial do Sistema Nacional de Saúde, o ministro da Saúde espanhol, Salvador Illa, deixou claro "que as medidas não estão a ser tomadas por prazer ou para dificultar a vida de ninguém".


A Espanha registou hoje 9.331 novos casos de covid-19, elevando para 1.665.775 o total de infectados no país desde o início da pandemia, segundo números divulgados pelo Ministério da Saúde espanhol.


As autoridades sanitárias também contabilizaram mais 273 mortes nas últimas 24 horas atribuídas à covid-19, passando o total de óbitos para 45.784.
O nível de incidência acumulada (pessoas contagiadas) em Espanha continua a descer, sendo hoje de 252 casos diagnosticados (menos 14 do que na terça-feira) por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias, sendo as regiões com os níveis mais elevados a de La Rioja (389), Castela e Leão (358), País Basco (377) e Astúrias (377).


A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,4 milhões de mortos no mundo desde Dezembro do ano passado, incluindo 4.645 em Portugal.
Na Europa, o maior número de vítimas mortais regista-se no Reino Unido (59.699 mortos, mais de 1,6 milhões de casos), seguindo-se Itália (57.045 mortos, mais de 1,6 milhões de casos), França (53.506 mortos, mais de 2,2 milhões de casos) e Espanha (45.784 mortos, mais de 1,6 milhões de casos).

 

As medidas preveem também que as refeições não podem ter mais do que 10 pessoas e que o início do atual recolher obrigatório diário é atrasado para as 01:30 da madrugada no dia de Natal e no de Ano Novo.


Estas medidas mínimas são de aplicação obrigatória, podendo as 17 comunidades autónomas acrescentar outras mais rígidas.
Todos os representantes regionais, excepto o de Madrid, que votou contra, e o da Catalunha, que se absteve, apoiaram as medidas propostas pelo Ministério da Saúde.


Durante a conferência de imprensa que se seguiu à reunião do Conselho Interterritorial do Sistema Nacional de Saúde, o ministro da Saúde espanhol, Salvador Illa, deixou claro "que as medidas não estão a ser tomadas por prazer ou para dificultar a vida de ninguém".


A Espanha registou hoje 9.331 novos casos de covid-19, elevando para 1.665.775 o total de infectados no país desde o início da pandemia, segundo números divulgados pelo Ministério da Saúde espanhol.


As autoridades sanitárias também contabilizaram mais 273 mortes nas últimas 24 horas atribuídas à covid-19, passando o total de óbitos para 45.784.
O nível de incidência acumulada (pessoas contagiadas) em Espanha continua a descer, sendo hoje de 252 casos diagnosticados (menos 14 do que na terça-feira) por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias, sendo as regiões com os níveis mais elevados a de La Rioja (389), Castela e Leão (358), País Basco (377) e Astúrias (377).


A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,4 milhões de mortos no mundo desde Dezembro do ano passado, incluindo 4.645 em Portugal.
Na Europa, o maior número de vítimas mortais regista-se no Reino Unido (59.699 mortos, mais de 1,6 milhões de casos), seguindo-se Itália (57.045 mortos, mais de 1,6 milhões de casos), França (53.506 mortos, mais de 2,2 milhões de casos) e Espanha (45.784 mortos, mais de 1,6 milhões de casos).