Covid-19: Inglaterra vai eliminar quarentena a vacinados da UE e EUA

  • Vacina contra à Covid-19
Londres - A Inglaterra vai eliminar a quarentena aos viajantes oriundos da União Europeia (UE) e dos Estados Unidos que tenham a vacinação completa nos países de origem, anunciou hoje o ministro dos Transportes britânico.

Numa declaração na rede social Twitter, Grant Sharps disse que a medida, reclamada pelo sector do turismo e por expatriados, entrará em vigor a partir da próxima segunda-feira, às 04:00 locais.


Antes, a cadeia de televisão britânica BBC, sem adiantar fontes, avançou que a decisão foi tomada hoje numa reunião do Conselho de Ministros, liderada pelo primeiro-ministro Boris Johnson, cujos pormenores deverão ser divulgados nas próximas horas.


A eliminação da quarentena, porém, não implica também a realização de novos testes de despistagem à covid-19, refere a BBC.
Até agora, apenas os cidadãos que tinham recebido as duas doses da vacina no Reino Unido estavam isentos de cumprir a quarentena de dez dias ao regressar a Inglaterra, com exceção de um país considerado de risco máximo.


A mudança significará que qualquer cidadão de um país totalmente vacinado da UE ou dos Estados Unidos poderá entrar em Inglaterra sem se isolar, seja para turismo, negócios, visita à família ou participação em eventos desportivos.


No entanto, no geral, independentemente do país em que foi obtida, a quarentena ainda terá que ser feita ao chegar de um território na lista "amarelo +", como a França, ou no vermelho (neste caso, num hotel designado), como os de vários países da América Latina.


Todos os viajantes que chegam de países "verdes" e pessoas vacinadas que vêm de locais da zona "amarela", como a Espanha, estão isentos de isolamento, embora devam apresentar testes negativos antes e depois de chegar ao país.


Nos últimos dias, o sector de viagens, economicamente muito afectado pela pandemia, tem pressionado o Governo a flexibilizar a política de viagens internacionais, a fim de salvar a época de férias de verão.


A medida vigorará, segundo a BBC, apenas em Inglaterra, aguardando-se que Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte, que têm suas próprias competências, que atualizem as suas políticas de viagens em breve.


A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 4.179.675 mortos em todo o mundo, entre mais de 195,2 milhões de casos de infecção pelo novo coronavírus, segundo o balanço mais recente da agência France-Presse.


Em Portugal, desde o início da pandemia, em Março de 2020, morreram 17.320 pessoas e foram registados 960.437 casos de infecção, segundo a Direcção-Geral da Saúde.


A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detectado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e actualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil e Peru.

 

Numa declaração na rede social Twitter, Grant Sharps disse que a medida, reclamada pelo sector do turismo e por expatriados, entrará em vigor a partir da próxima segunda-feira, às 04:00 locais.


Antes, a cadeia de televisão britânica BBC, sem adiantar fontes, avançou que a decisão foi tomada hoje numa reunião do Conselho de Ministros, liderada pelo primeiro-ministro Boris Johnson, cujos pormenores deverão ser divulgados nas próximas horas.


A eliminação da quarentena, porém, não implica também a realização de novos testes de despistagem à covid-19, refere a BBC.
Até agora, apenas os cidadãos que tinham recebido as duas doses da vacina no Reino Unido estavam isentos de cumprir a quarentena de dez dias ao regressar a Inglaterra, com exceção de um país considerado de risco máximo.


A mudança significará que qualquer cidadão de um país totalmente vacinado da UE ou dos Estados Unidos poderá entrar em Inglaterra sem se isolar, seja para turismo, negócios, visita à família ou participação em eventos desportivos.


No entanto, no geral, independentemente do país em que foi obtida, a quarentena ainda terá que ser feita ao chegar de um território na lista "amarelo +", como a França, ou no vermelho (neste caso, num hotel designado), como os de vários países da América Latina.


Todos os viajantes que chegam de países "verdes" e pessoas vacinadas que vêm de locais da zona "amarela", como a Espanha, estão isentos de isolamento, embora devam apresentar testes negativos antes e depois de chegar ao país.


Nos últimos dias, o sector de viagens, economicamente muito afectado pela pandemia, tem pressionado o Governo a flexibilizar a política de viagens internacionais, a fim de salvar a época de férias de verão.


A medida vigorará, segundo a BBC, apenas em Inglaterra, aguardando-se que Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte, que têm suas próprias competências, que atualizem as suas políticas de viagens em breve.


A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 4.179.675 mortos em todo o mundo, entre mais de 195,2 milhões de casos de infecção pelo novo coronavírus, segundo o balanço mais recente da agência France-Presse.


Em Portugal, desde o início da pandemia, em Março de 2020, morreram 17.320 pessoas e foram registados 960.437 casos de infecção, segundo a Direcção-Geral da Saúde.


A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detectado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e actualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil e Peru.