Covid-19: Itália suspende voos com o Reino Unido

  • Aeronave da TAAG no Aeroporto Internacional "4 de Fevereiro"
Roma - O Governo italiano vai suspender os voos com o Reino Unido depois de Londres ter confirmado o aparecimento de uma variante do novo coronavírus, anunciou hoje o chefe da diplomacia italiana, Luigi Di Maio.

A decisão já foi comunicada às autoridades londrinas, afirmou nas redes sociais o governante italiano.

"Como Governo temos o dever de proteger os italianos e por isso, depois de notificarmos o Governo inglês, estamos prestes a assinar uma medida com o ministro da Saúde para suspender os voos com a Grã-Bretanha", explicou Di Maio.

"A nossa prioridade é proteger a Itália e os nossos compatriotas", acrescentou.

A decisão da Itália surge depois do Governo britânico ter confirmado o aparecimento de uma variante do novo coronavírus que forçou ao estabelecimento de duras medidas restritivas, dado o alarmante aumento de casos de COVID-19 no Reino Unido.

Os cientistas garantiram que a nova variante acelera a transmissão do vírus em até mais 70%.

A Itália continua a manter um elevado número de infecções e foi confirmado no sábado que nas últimas vinte e quatro horas 16.308 pessoas contraíram o vírus e 553 morreram, aumentando para 68.447 o número de mortos desde Fevereiro passado.

Tendo em vista que a curva epidemiológica não caiu conforme o esperado após as restrições aprovadas a 03 de Dezembro, o Governo de Roma decidiu confinar a população nos feriados e na véspera do Natal.

Assim, nos dias 24, 25, 26, 27 e 31 de Dezembro e nos dias 01, 02, 03, 05 e 06 de Janeiro, não se poderá sair de casa, a não ser que seja para se ir trabalhar, em casos de emergência ou por questões de saúde, e as viagens foram proibidas entre as diferentes regiões de Itália.

A decisão já foi comunicada às autoridades londrinas, afirmou nas redes sociais o governante italiano.

"Como Governo temos o dever de proteger os italianos e por isso, depois de notificarmos o Governo inglês, estamos prestes a assinar uma medida com o ministro da Saúde para suspender os voos com a Grã-Bretanha", explicou Di Maio.

"A nossa prioridade é proteger a Itália e os nossos compatriotas", acrescentou.

A decisão da Itália surge depois do Governo britânico ter confirmado o aparecimento de uma variante do novo coronavírus que forçou ao estabelecimento de duras medidas restritivas, dado o alarmante aumento de casos de COVID-19 no Reino Unido.

Os cientistas garantiram que a nova variante acelera a transmissão do vírus em até mais 70%.

A Itália continua a manter um elevado número de infecções e foi confirmado no sábado que nas últimas vinte e quatro horas 16.308 pessoas contraíram o vírus e 553 morreram, aumentando para 68.447 o número de mortos desde Fevereiro passado.

Tendo em vista que a curva epidemiológica não caiu conforme o esperado após as restrições aprovadas a 03 de Dezembro, o Governo de Roma decidiu confinar a população nos feriados e na véspera do Natal.

Assim, nos dias 24, 25, 26, 27 e 31 de Dezembro e nos dias 01, 02, 03, 05 e 06 de Janeiro, não se poderá sair de casa, a não ser que seja para se ir trabalhar, em casos de emergência ou por questões de saúde, e as viagens foram proibidas entre as diferentes regiões de Itália.