Covid-19: Síntese Mundial

  • Huambo, Testagem em massa de Covid-19
Paris - A pandemia de SARS CoV-2 fez pelo menos 3.333.603 mortos em todo mundo desde que foi detectada na República Popular da China, em finais de 2019, segundo o balanço da AFP com base em dados oficiais.

Mais de 160.364.910 casos de infecção foram oficialmente diagnosticados desde o início da epidemia.

Estes valores têm como base os balanços comunicados diariamente pelas autoridades sanitárias de cada país, excluindo as revisões realizadas posteriormente pelos organismos responsáveis pelas estatísticas de países como a Rússia, Espanha ou Reino Unido.

Na quarta-feira registaram-se mais 13.903 mortes por covid-19 e foram detectados 746.250 novos casos, em todo o mundo.

Os países que lamentam o maior número de mortos pela doença, nos últimos balanços, são a Índia, com mais 4.120 mortos, o Brasil (2.494) e os Estados Unidos (855).

Os Estados Unidos são o país mais afectado tanto pelo número de óbitos como pelo número de casos, com 583.685 mortos e 32.814.946 casos, de acordo com a contagem da Universidade Johns Hopkins.

A seguir aos Estados Unidos, os países mais afectados são o Brasil, com 428.034 mortos e 15.359.397 casos, a Índia, com 258.317 mortos (23.703.655 casos), o México, com 219.590 mortos (2.371.483 casos) e o Reino Unido, com 127.640 óbitos (4.441.975 casos).

Entre os países mais duramente afectados, a Hungria é o que contabiliza maior número de mortos, tendo em conta a população, com 299 óbitos por cada 100 mil habitantes, seguido da República Checa (279), Bósnia (273), Macedónia do Norte (247) e o Montenegro (246).

Até hoje, a Europa totalizava 1.101.783 mortes e 51.915.478 casos, a América Latina e Caraíbas 966.303 óbitos (30.308.622 casos), os Estados Unidos e Canadá 608.441 mortos (34.117.546 casos), a Ásia 394.321 mortos (31.148.830 casos), o Médio Oriente 136.348 mortes (8.168.271 casos), a África 125.338 casos) e a Oceânia 1.069 óbitos (45.425 casos).

Mais de 160.364.910 casos de infecção foram oficialmente diagnosticados desde o início da epidemia.

Estes valores têm como base os balanços comunicados diariamente pelas autoridades sanitárias de cada país, excluindo as revisões realizadas posteriormente pelos organismos responsáveis pelas estatísticas de países como a Rússia, Espanha ou Reino Unido.

Na quarta-feira registaram-se mais 13.903 mortes por covid-19 e foram detectados 746.250 novos casos, em todo o mundo.

Os países que lamentam o maior número de mortos pela doença, nos últimos balanços, são a Índia, com mais 4.120 mortos, o Brasil (2.494) e os Estados Unidos (855).

Os Estados Unidos são o país mais afectado tanto pelo número de óbitos como pelo número de casos, com 583.685 mortos e 32.814.946 casos, de acordo com a contagem da Universidade Johns Hopkins.

A seguir aos Estados Unidos, os países mais afectados são o Brasil, com 428.034 mortos e 15.359.397 casos, a Índia, com 258.317 mortos (23.703.655 casos), o México, com 219.590 mortos (2.371.483 casos) e o Reino Unido, com 127.640 óbitos (4.441.975 casos).

Entre os países mais duramente afectados, a Hungria é o que contabiliza maior número de mortos, tendo em conta a população, com 299 óbitos por cada 100 mil habitantes, seguido da República Checa (279), Bósnia (273), Macedónia do Norte (247) e o Montenegro (246).

Até hoje, a Europa totalizava 1.101.783 mortes e 51.915.478 casos, a América Latina e Caraíbas 966.303 óbitos (30.308.622 casos), os Estados Unidos e Canadá 608.441 mortos (34.117.546 casos), a Ásia 394.321 mortos (31.148.830 casos), o Médio Oriente 136.348 mortes (8.168.271 casos), a África 125.338 casos) e a Oceânia 1.069 óbitos (45.425 casos).