Covid-19: Síntese Mundial

  • Doentes com Covid-19 em tratamento no Hospital Campanha da Zona Económica de Viana
Paris - A pandemia de covid-19 matou, até hoje, pelo menos 3.714.923 pessoas no mundo desde o final de Dezembro de 2019, segundo um levantamento realizado pela agência de notícias francesa AFP a partir de fontes oficiais.


Mais de 172.499.930 casos de infecção foram oficialmente diagnosticados desde o início da pandemia.

Os números são baseados em relatórios diários das autoridades de saúde de cada país até hoje e excluem revisões posteriores de agências estatísticas, como ocorre na Rússia, Espanha e Reino Unido.

A OMS estimou que, levando em consideração o excesso de mortalidade directa e indirectamente vinculado à covid-19, os resultados da pandemia podem ser duas a três vezes superiores aos registados oficialmente.

Na sexta-feira, 9.916 novas mortes e 427.592 novos casos foram registados em todo o mundo.

Os países que registaram o maior número de novas mortes em seus levantamentos mais recentes são a Índia com 3.380 óbitos, o Brasil (1.454) e os Estados Unidos (605).

Os Estados Unidos são o país mais afectado em termos de mortes e casos, com 597.001 mortes para 33.346.365 casos, segundo o levantamento mais recente realizado pela Universidade Johns Hopkins.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afectados são o Brasil com 470.842 mortes e 16.841.408 casos, a Índia com 344.082 óbitos (28.694.879 casos), o México com 228.568 mortes (2.429.631 casos) e o Peru com 185.813 óbitos (1.976.166 casos).

Entre os países mais atingidos, o Peru é o que apresenta o maior número de mortes em relação à sua população, com 564 mortes por 100 mil habitantes, seguido pela Hungria (309), Bósnia-Herzegovina (286), República Checa (282) e Macedónia do Norte (261).

A Europa totalizou hoje 1.141.248 mortes em 53.178.996 casos, a América Latina e Caribe 1.174.349 óbitos (33.719.987 casos), os Estados Unidos e Canadá 622.672 mortes (34.735.355 casos), a Ásia 499.345 óbitos (37.202.590 casos), o Médio Oriente 144.420 mortes (8.715.041 casos), a África 131.785 óbitos (4.898.623 casos) e a Oceania 1.104 mortes (49.338 casos).


Mais de 172.499.930 casos de infecção foram oficialmente diagnosticados desde o início da pandemia.

Os números são baseados em relatórios diários das autoridades de saúde de cada país até hoje e excluem revisões posteriores de agências estatísticas, como ocorre na Rússia, Espanha e Reino Unido.

A OMS estimou que, levando em consideração o excesso de mortalidade directa e indirectamente vinculado à covid-19, os resultados da pandemia podem ser duas a três vezes superiores aos registados oficialmente.

Na sexta-feira, 9.916 novas mortes e 427.592 novos casos foram registados em todo o mundo.

Os países que registaram o maior número de novas mortes em seus levantamentos mais recentes são a Índia com 3.380 óbitos, o Brasil (1.454) e os Estados Unidos (605).

Os Estados Unidos são o país mais afectado em termos de mortes e casos, com 597.001 mortes para 33.346.365 casos, segundo o levantamento mais recente realizado pela Universidade Johns Hopkins.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afectados são o Brasil com 470.842 mortes e 16.841.408 casos, a Índia com 344.082 óbitos (28.694.879 casos), o México com 228.568 mortes (2.429.631 casos) e o Peru com 185.813 óbitos (1.976.166 casos).

Entre os países mais atingidos, o Peru é o que apresenta o maior número de mortes em relação à sua população, com 564 mortes por 100 mil habitantes, seguido pela Hungria (309), Bósnia-Herzegovina (286), República Checa (282) e Macedónia do Norte (261).

A Europa totalizou hoje 1.141.248 mortes em 53.178.996 casos, a América Latina e Caribe 1.174.349 óbitos (33.719.987 casos), os Estados Unidos e Canadá 622.672 mortes (34.735.355 casos), a Ásia 499.345 óbitos (37.202.590 casos), o Médio Oriente 144.420 mortes (8.715.041 casos), a África 131.785 óbitos (4.898.623 casos) e a Oceania 1.104 mortes (49.338 casos).