Covid-19: Síntese Mundial

  • Pacientes de Covid-19 em tratamento no km29
Paris - A pandemia provocada pelo novo coronavírus já causou, pelo menos, 3.787.127 mortes, desde que a doença foi identificada na China, em dezembro de 2019, segundo um balanço da AFP.

Segundo o relatório da AFP, em todo o mundo já se registaram 175.191.840 casos de infecção pelo SARS-CoV-2, que provoca a covid-19, oficialmente diagnosticados desde o início da pandemia. A maioria dos pacientes recuperou, mas uma parte ainda mal avaliada, mantém sintomas por semanas ou até meses.

Os números têm por base relatórios comunicados diariamente pelas autoridades de saúde de cada país e excluem as revisões posteriores de determinados organismos estatísticos que somam um número superior de óbitos.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima, levando em consideração o excesso de mortalidade ligada directa e indirectamente à covid-19, que o balanço da pandemia pode ser duas a três vezes superior ao registado oficialmente.
Uma parte significativa dos casos menos graves ou assintomáticos também não é detectada, apesar da intensificação do rastreamento em muitos países.

Na sexta-feira, foram registadas em 24 horas 11.196 novas mortes e 421.800 novos casos de infeções em todo o mundo.

Os países que registaram o maior número de mortes num só dia foram a Índia (4.002), o Brasil (2.216) e a Argentina (687).

Os Estados Unidos são o país mais afectado em termos de mortes e casos, com 599.180 óbitos e 33.437.749 casos, de acordo com a contagem da Universidade Johns Hopkins.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afectados são Brasil, com 484.235 mortes e 17.296.118 casos, Índia, com 367.081 mortes e 29.359.155 casos, México, com 229.823 mortes e 2.448.820 casos, e Peru, com 188.100 mortes e 1.998.056 casos.

O Peru é o país que apresenta o maior número de mortes em relação à sua população, com 570 óbitos por 100.000 habitantes, e entre os países mais atingidos está também a Hungria com 310, Bósnia com 289, República Checa com 282 e Macedónia do Norte, com 263.

A América Latina e as Caraíbas totalizam hoje 1.203.093 mortes (34.755.943 casos), a Europa 1.149.804 mortes (53.528.953 casos), os Estados Unidos e Canadá 625.061 mortes (34.837.019 casos), a Ásia 528.232 mortes (38.147.140 casos), o Médio Oriente 145.773 mortes (8.863.936 casos), a África 134.060 mortes (5.008.656 casos) e a Oceânia 1.104 mortes (50.199 casos).

Segundo o relatório da AFP, em todo o mundo já se registaram 175.191.840 casos de infecção pelo SARS-CoV-2, que provoca a covid-19, oficialmente diagnosticados desde o início da pandemia. A maioria dos pacientes recuperou, mas uma parte ainda mal avaliada, mantém sintomas por semanas ou até meses.

Os números têm por base relatórios comunicados diariamente pelas autoridades de saúde de cada país e excluem as revisões posteriores de determinados organismos estatísticos que somam um número superior de óbitos.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima, levando em consideração o excesso de mortalidade ligada directa e indirectamente à covid-19, que o balanço da pandemia pode ser duas a três vezes superior ao registado oficialmente.
Uma parte significativa dos casos menos graves ou assintomáticos também não é detectada, apesar da intensificação do rastreamento em muitos países.

Na sexta-feira, foram registadas em 24 horas 11.196 novas mortes e 421.800 novos casos de infeções em todo o mundo.

Os países que registaram o maior número de mortes num só dia foram a Índia (4.002), o Brasil (2.216) e a Argentina (687).

Os Estados Unidos são o país mais afectado em termos de mortes e casos, com 599.180 óbitos e 33.437.749 casos, de acordo com a contagem da Universidade Johns Hopkins.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afectados são Brasil, com 484.235 mortes e 17.296.118 casos, Índia, com 367.081 mortes e 29.359.155 casos, México, com 229.823 mortes e 2.448.820 casos, e Peru, com 188.100 mortes e 1.998.056 casos.

O Peru é o país que apresenta o maior número de mortes em relação à sua população, com 570 óbitos por 100.000 habitantes, e entre os países mais atingidos está também a Hungria com 310, Bósnia com 289, República Checa com 282 e Macedónia do Norte, com 263.

A América Latina e as Caraíbas totalizam hoje 1.203.093 mortes (34.755.943 casos), a Europa 1.149.804 mortes (53.528.953 casos), os Estados Unidos e Canadá 625.061 mortes (34.837.019 casos), a Ásia 528.232 mortes (38.147.140 casos), o Médio Oriente 145.773 mortes (8.863.936 casos), a África 134.060 mortes (5.008.656 casos) e a Oceânia 1.104 mortes (50.199 casos).