Covid-19: Síntese Mundial

  • The Covid-19 virus
Paris - A pandemia de covid-19 matou, até hoje, pelo menos 3.835.238 pessoas no mundo desde o final de Dezembro de 2019, segundo um levantamento realizado pela agência de notícias francesa AFP com base em fontes oficiais, noticiou a Lusa.

Mais de 176.966.040 casos de infecção foram oficialmente diagnosticados desde o início da pandemia.


Os números são baseados em relatórios diários das autoridades de saúde de cada país até às 11:00 em Lisboa, e excluem revisões posteriores de agências estatísticas, como ocorre na Rússia, Espanha e Reino Unido.


A Organização Mundial de Saúde (OMS) estimou que, levando em consideração o excesso de mortalidade direta e indiretamente vinculado à covid-19, os resultados da pandemia podem ser duas a três vezes superiores aos registados oficialmente.


Na quarta-feira, 10.887 novas mortes e 401.224 novos casos foram registados em todo o mundo.


Os países que registaram o maior número de novas mortes nos seus levantamentos mais recentes são o Brasil com 2.997 novas mortes, Índia (2.330) e Argentina (646).


Os Estados Unidos são o país mais afectado em termos de mortes e casos, com 600.653 mortes em 33.498.511 casos, segundo o levantamento realizado pela Universidade Johns Hopkins.


Depois dos Estados Unidos, os países mais afectados são o Brasil com 493.693 mortes e 17.628.588 casos, a Índia com 381.903 óbitos (29.700.313 casos), o México com 230.624 mortes (2.463.390 casos) e o Peru com 189.522 óbitos (2.015.190 casos).


Entre os países mais atingidos, o Peru é o que apresenta o maior número de mortes em relação à sua população, com 575 mortes por 100.000 habitantes, seguido pela Hungria (310), Bósnia-Herzegovina (293), República Checa (283) e Macedónia do Norte (263).


A Europa totalizou hoje para 1.154.599 mortes para 53.753.453 casos, a América Latina e Caraíbas 1.222.889 óbitos (35.476.483), os Estados Unidos e Canadá 626.644 mortes (34.903.306 casos), a Ásia 547.080 óbitos (38.692.390 casos), o Médio Oriente 147.033 mortes (8.981.560 casos), a África 135.885 óbitos (5.107.939 casos) e a Oceania 1.108 mortes (50.913 casos).


Desde o início da pandemia, o número de testes realizados aumentou substancialmente e as técnicas de rastreamento e despistagem melhoraram, levando a um aumento no número dos contágios declarados.


O número de casos diagnosticados, no entanto, reflecte apenas uma fracção do total real dos contágios, com uma proporção significativa dos casos menos graves ou assintomáticos não detectados.

 

Mais de 176.966.040 casos de infecção foram oficialmente diagnosticados desde o início da pandemia.


Os números são baseados em relatórios diários das autoridades de saúde de cada país até às 11:00 em Lisboa, e excluem revisões posteriores de agências estatísticas, como ocorre na Rússia, Espanha e Reino Unido.


A Organização Mundial de Saúde (OMS) estimou que, levando em consideração o excesso de mortalidade direta e indiretamente vinculado à covid-19, os resultados da pandemia podem ser duas a três vezes superiores aos registados oficialmente.


Na quarta-feira, 10.887 novas mortes e 401.224 novos casos foram registados em todo o mundo.


Os países que registaram o maior número de novas mortes nos seus levantamentos mais recentes são o Brasil com 2.997 novas mortes, Índia (2.330) e Argentina (646).


Os Estados Unidos são o país mais afectado em termos de mortes e casos, com 600.653 mortes em 33.498.511 casos, segundo o levantamento realizado pela Universidade Johns Hopkins.


Depois dos Estados Unidos, os países mais afectados são o Brasil com 493.693 mortes e 17.628.588 casos, a Índia com 381.903 óbitos (29.700.313 casos), o México com 230.624 mortes (2.463.390 casos) e o Peru com 189.522 óbitos (2.015.190 casos).


Entre os países mais atingidos, o Peru é o que apresenta o maior número de mortes em relação à sua população, com 575 mortes por 100.000 habitantes, seguido pela Hungria (310), Bósnia-Herzegovina (293), República Checa (283) e Macedónia do Norte (263).


A Europa totalizou hoje para 1.154.599 mortes para 53.753.453 casos, a América Latina e Caraíbas 1.222.889 óbitos (35.476.483), os Estados Unidos e Canadá 626.644 mortes (34.903.306 casos), a Ásia 547.080 óbitos (38.692.390 casos), o Médio Oriente 147.033 mortes (8.981.560 casos), a África 135.885 óbitos (5.107.939 casos) e a Oceania 1.108 mortes (50.913 casos).


Desde o início da pandemia, o número de testes realizados aumentou substancialmente e as técnicas de rastreamento e despistagem melhoraram, levando a um aumento no número dos contágios declarados.


O número de casos diagnosticados, no entanto, reflecte apenas uma fracção do total real dos contágios, com uma proporção significativa dos casos menos graves ou assintomáticos não detectados.