Covid-19: Síntese Mundial

  • Ilustração do  Covid-19
Paris – A pandemia de covid-19 provocou 2.531.448 mortos em todo o mundo desde que foi detetada, pela primeira vez, na China, em dezembro de 2019, avançou hoje a agência francesa AFP, que faz o balanço diário das vítimas da doença.

Segundo a mesma fonte, mais de 114.050.170 casos de infecção foram oficialmente diagnosticados desde o início da pandemia, sendo que a maioria das pessoas já se recuperou, mas uma parte mantém os sintomas durante semanas ou meses.


Os números são baseados em relatórios comunicados diariamente pelas autoridades de saúde de cada país e excluem as revisões ‘a posteriori’ feitas por agências de estatística, como acontece na Rússia, em Espanha e no Reino Unido.


Nas últimas 24 horas, foram contabilizadas 5.680 mortes e 306.735 novos casos em todo o mundo.


Os países que registaram maior número de mortes nos últimos relatórios foram os Estados Unidos, com 1.001 vítimas mortais, seguido pelo Brasil (721) e pelo México (458).


Os Estados Unidos são o país mais afectado em termos de mortes e de casos, com 513.092 mortos em 28.605.953 infectados, de acordo com uma contagem da Universidade Johns Hopkins.


Depois dos Estados Unidos, os países mais afectados são o Brasil, com 254.942 mortes e 10.551.259 casos, o México, com 185.715 mortes (2.086.938 casos), a Índia, com 157.157 mortes (11.112.241 casos), e o Reino Unido, com 122.849 mortes (4.176.554 casos).


Entre os países mais atingidos, a República Checa é o que apresenta o maior número de mortes em relação à sua população, com 191 mortes por cada 100.000 habitantes, seguida pela Bélgica (190), Eslovénia (185), Reino Unido (181) e Itália (162).


A Europa contabiliza, até às 11:00 TMG (mesma hora em Lisboa) de hoje, 852.569 mortos em 37.626.483 casos, enquanto a América Latina e as Caraíbas somam 678.450 mortos (21.381.322 casos).


Os Estados Unidos e o Canadá registam 535.083 mortos (29.471.938 casos), e a Ásia 256.364 mortes (16.146.765 casos).

O Médio Oriente atinge as 104.318 mortes (5.493.708 casos), enquanto África aponta 103.715 mortes (3.897.601 casos) e a Oceânia 949 mortes (32.353 casos).


Desde o início da pandemia, o número de testes realizados aumentou drasticamente e as técnicas de rastreamento melhoraram muito, levando a um aumento do número de infecções declaradas.


No entanto, o número de casos diagnosticados reflecte apenas uma fracção da totalidade, já que uma grande parte dos casos menos graves ou assintomáticos não foram detectados.


No domingo, Portugal contabilizava 61 mortes e 549 novos casos de infecção nas 24 horas anteriores, o número mais baixo desde 06 de outubro, segundo a Direcção-Geral da Saúde.


Desde Março de 2020, Portugal já registou 16.023 mortes associadas à covid-19 e 798.074 casos de infecção pelo coronavírus SARS-CoV-2.

 

 

Segundo a mesma fonte, mais de 114.050.170 casos de infecção foram oficialmente diagnosticados desde o início da pandemia, sendo que a maioria das pessoas já se recuperou, mas uma parte mantém os sintomas durante semanas ou meses.


Os números são baseados em relatórios comunicados diariamente pelas autoridades de saúde de cada país e excluem as revisões ‘a posteriori’ feitas por agências de estatística, como acontece na Rússia, em Espanha e no Reino Unido.


Nas últimas 24 horas, foram contabilizadas 5.680 mortes e 306.735 novos casos em todo o mundo.


Os países que registaram maior número de mortes nos últimos relatórios foram os Estados Unidos, com 1.001 vítimas mortais, seguido pelo Brasil (721) e pelo México (458).


Os Estados Unidos são o país mais afectado em termos de mortes e de casos, com 513.092 mortos em 28.605.953 infectados, de acordo com uma contagem da Universidade Johns Hopkins.


Depois dos Estados Unidos, os países mais afectados são o Brasil, com 254.942 mortes e 10.551.259 casos, o México, com 185.715 mortes (2.086.938 casos), a Índia, com 157.157 mortes (11.112.241 casos), e o Reino Unido, com 122.849 mortes (4.176.554 casos).


Entre os países mais atingidos, a República Checa é o que apresenta o maior número de mortes em relação à sua população, com 191 mortes por cada 100.000 habitantes, seguida pela Bélgica (190), Eslovénia (185), Reino Unido (181) e Itália (162).


A Europa contabiliza, até às 11:00 TMG (mesma hora em Lisboa) de hoje, 852.569 mortos em 37.626.483 casos, enquanto a América Latina e as Caraíbas somam 678.450 mortos (21.381.322 casos).


Os Estados Unidos e o Canadá registam 535.083 mortos (29.471.938 casos), e a Ásia 256.364 mortes (16.146.765 casos).

O Médio Oriente atinge as 104.318 mortes (5.493.708 casos), enquanto África aponta 103.715 mortes (3.897.601 casos) e a Oceânia 949 mortes (32.353 casos).


Desde o início da pandemia, o número de testes realizados aumentou drasticamente e as técnicas de rastreamento melhoraram muito, levando a um aumento do número de infecções declaradas.


No entanto, o número de casos diagnosticados reflecte apenas uma fracção da totalidade, já que uma grande parte dos casos menos graves ou assintomáticos não foram detectados.


No domingo, Portugal contabilizava 61 mortes e 549 novos casos de infecção nas 24 horas anteriores, o número mais baixo desde 06 de outubro, segundo a Direcção-Geral da Saúde.


Desde Março de 2020, Portugal já registou 16.023 mortes associadas à covid-19 e 798.074 casos de infecção pelo coronavírus SARS-CoV-2.