Covid-19: Síntese Mundial

  • Doente com Covid-19 em tratamento no Hospital Campanha em Viana
Paris - A pandemia do novo coronavírus matou pelo menos 2.593.872 pessoas no mundo desde o final de dezembro de 2019, segundo o levantamento hoje realizado pela agência de notícias AFP a partir de fontes oficiais.

Mais de 116.768.620 casos de infecção foram oficialmente diagnosticados desde o início da pandemia.

Os números são baseados em relatórios diários das autoridades de saúde de cada país e excluem as revisões posteriores de agências estatísticas, como ocorre na Rússia, Espanha e Reino Unido.

No domingo, 5.034 novas mortes e 360.341 novos casos foram registados em todo o mundo.

Os países que registaram o maior número de novas mortes nos seus mais recentes levantamentos são o Brasil com 1.086 novas mortes, os Estados Unidos (617) e a Rússia (379).

Os Estados Unidos são o país mais afectado em termos de mortes e casos, com 525.035 mortes para 28.999.266 casos, de acordo com o levantamento realizado pela Universidade Johns Hopkins.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afectados são o Brasil com 265.411 óbitos e 11.019.344 casos, o México com 190.604 mortes (2.128.600 casos), a Índia com 157.853 óbitos (11.229.398 casos) e o Reino Unido com 124.419 mortes (4.218.520 casos).

Entre os países mais atingidos, a República Checa é o que apresenta o maior número de mortes em relação à sua população, com 204 mortes por 100.000 habitantes, seguida pela Bélgica (192), Eslovénia (187), Reino Unido (183) e Montenegro (170).

A Europa totalizou hoje 875.206 mortes para 38.693.968 casos, a América Latina e Caribe 698.466 óbitos (22.089.230 casos), os Estados Unidos e Canadá 547.270 mortes (29.885.362 casos), a Ásia 259.877 óbitos (16.375.872 casos), o Médio Oriente 106.333 mortes (5.722.679 casos), a África 105.767 óbitos (3.968.760 casos) e a Oceânia 953 mortes (32.757 casos).

Mais de 116.768.620 casos de infecção foram oficialmente diagnosticados desde o início da pandemia.

Os números são baseados em relatórios diários das autoridades de saúde de cada país e excluem as revisões posteriores de agências estatísticas, como ocorre na Rússia, Espanha e Reino Unido.

No domingo, 5.034 novas mortes e 360.341 novos casos foram registados em todo o mundo.

Os países que registaram o maior número de novas mortes nos seus mais recentes levantamentos são o Brasil com 1.086 novas mortes, os Estados Unidos (617) e a Rússia (379).

Os Estados Unidos são o país mais afectado em termos de mortes e casos, com 525.035 mortes para 28.999.266 casos, de acordo com o levantamento realizado pela Universidade Johns Hopkins.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afectados são o Brasil com 265.411 óbitos e 11.019.344 casos, o México com 190.604 mortes (2.128.600 casos), a Índia com 157.853 óbitos (11.229.398 casos) e o Reino Unido com 124.419 mortes (4.218.520 casos).

Entre os países mais atingidos, a República Checa é o que apresenta o maior número de mortes em relação à sua população, com 204 mortes por 100.000 habitantes, seguida pela Bélgica (192), Eslovénia (187), Reino Unido (183) e Montenegro (170).

A Europa totalizou hoje 875.206 mortes para 38.693.968 casos, a América Latina e Caribe 698.466 óbitos (22.089.230 casos), os Estados Unidos e Canadá 547.270 mortes (29.885.362 casos), a Ásia 259.877 óbitos (16.375.872 casos), o Médio Oriente 106.333 mortes (5.722.679 casos), a África 105.767 óbitos (3.968.760 casos) e a Oceânia 953 mortes (32.757 casos).