Covid-19: Vacina da Pfizer deve estar autorizada até final do ano - Von der Leyen

Bruxelas – A presidente da Comissão Europeia (UE), Ursula von der Leyen, disse hoje esperar ter autorizada até final do ano a vacina da BioNThec/Pfizer para a covid-19.

“Ambicionamos ter a vacina da BioNThec/Pfizer autorizada até final do ano, dependendo do parecer da EMA (Agência Europeia para o Medicamento)”, disse.

A presidente do executivo comunitário, que falava na conferência de imprensa final do Conselho Europeu, adiantou que o parecer da EMA para a vacina da Moderna deverá ser divulgado em meados de Janeiro, continuando a ser estudada a de Oxford e AstraZeneca.

No entanto, salientou, “é a vacinação e não as vacinas que salva vidas”, apelando aos Estados-membros que finalizem os preparativos para o lançamento dos programas de vacinação.

“Estamos prontos para apoiar”, referiu.

A presidente cessante do Conselho da União Europeia (UE) já tinha adiantado, na mesma conferência de imprensa, que uma das prioridades do seu sucessor, António Costa, será a “União Europeia da saúde”.

A presidência portuguesa da UE arranca em 01 de Janeiro, por um período de seis meses.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.570.398 mortos resultantes de mais de 68,8 milhões de casos de infecção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 5.278 pessoas dos 335.207 casos de infecção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direcção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detectado no final de Dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

“Ambicionamos ter a vacina da BioNThec/Pfizer autorizada até final do ano, dependendo do parecer da EMA (Agência Europeia para o Medicamento)”, disse.

A presidente do executivo comunitário, que falava na conferência de imprensa final do Conselho Europeu, adiantou que o parecer da EMA para a vacina da Moderna deverá ser divulgado em meados de Janeiro, continuando a ser estudada a de Oxford e AstraZeneca.

No entanto, salientou, “é a vacinação e não as vacinas que salva vidas”, apelando aos Estados-membros que finalizem os preparativos para o lançamento dos programas de vacinação.

“Estamos prontos para apoiar”, referiu.

A presidente cessante do Conselho da União Europeia (UE) já tinha adiantado, na mesma conferência de imprensa, que uma das prioridades do seu sucessor, António Costa, será a “União Europeia da saúde”.

A presidência portuguesa da UE arranca em 01 de Janeiro, por um período de seis meses.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.570.398 mortos resultantes de mais de 68,8 milhões de casos de infecção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 5.278 pessoas dos 335.207 casos de infecção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direcção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detectado no final de Dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.