Cuba agradece apoio etíope na luta contra bloqueio dos EUA

  • Bandeira de Cuba
Addis Abeba - A embaixadora de Cuba na Etiópia, Vilma Thomas, agradeceu o apoio histórico deste país à luta hoje da ilha contra o bloqueio económico, comercial e financeiro dos Estados Unidos.

Durante uma reunião com o vice-primeiro-ministro Demeke Mekonnen, Thomas sublinhou que a oposição etíope a este sistema de medidas coercivas, aplicado há quase 60 anos, é demonstrada na Assembleia Geral das Nações Unidas e na União Africana, entre outros fóruns multilaterais.

Ele também comentou que a próxima votação da resolução cubana contra o bloqueio na ONU será mais uma oportunidade para o mundo enviar uma mensagem sobre a urgência de eliminar, de uma vez por todas, esta política criminosa que viola o direito internacional.

Da mesma forma, delineou a realidade da nação antilhana e sublinhou o desafio do governo e do povo para enfrentar a situação epidemiológica criada pela Covid-19, 'em meio ao bloqueio genocida imposto pelos Estados Unidos, intensificado ainda neste período de pandemia. '.

Mekonnen, também ministro das Relações Exteriores da Etiópia, recebeu o diplomata na sede do Ministério das Relações Exteriores, onde trocou ideias sobre as relações entre os dois estados e destacou a importância de continuar a promover a cooperação em sectores estratégicos.

No encontro, Vilma, também embaixadora no Sudão do Sul, credenciado como concorrente de Adis Abeba, entregou uma mensagem do chanceler cubano, Bruno Rodríguez, dirigida ao seu homólogo etíope.

Durante uma reunião com o vice-primeiro-ministro Demeke Mekonnen, Thomas sublinhou que a oposição etíope a este sistema de medidas coercivas, aplicado há quase 60 anos, é demonstrada na Assembleia Geral das Nações Unidas e na União Africana, entre outros fóruns multilaterais.

Ele também comentou que a próxima votação da resolução cubana contra o bloqueio na ONU será mais uma oportunidade para o mundo enviar uma mensagem sobre a urgência de eliminar, de uma vez por todas, esta política criminosa que viola o direito internacional.

Da mesma forma, delineou a realidade da nação antilhana e sublinhou o desafio do governo e do povo para enfrentar a situação epidemiológica criada pela Covid-19, 'em meio ao bloqueio genocida imposto pelos Estados Unidos, intensificado ainda neste período de pandemia. '.

Mekonnen, também ministro das Relações Exteriores da Etiópia, recebeu o diplomata na sede do Ministério das Relações Exteriores, onde trocou ideias sobre as relações entre os dois estados e destacou a importância de continuar a promover a cooperação em sectores estratégicos.

No encontro, Vilma, também embaixadora no Sudão do Sul, credenciado como concorrente de Adis Abeba, entregou uma mensagem do chanceler cubano, Bruno Rodríguez, dirigida ao seu homólogo etíope.