Cuba encerra escolas de Havana e impõe recolher obrigatório

  • Cubanos na Feira do Livro de Havana,  Cuba
Havana - As autoridades cubanas decidiram encerrar nesta quinta-feira as escolas da capital (Havana) e proibiram as deslocações de pessoas e víaturas entre as 19:00 e as 05:00 horas, devido à subida do número de infecções com o novo coronavirus.

“A deslocação de veículos e pessoas será interdita a partir de quinta-feira, dia 14, entre as 19.00 e as 05.00", anunciou na quarta-feira a agência noticiosa cubana ACN, citando o Conselho de Defesa da Província de Havana.

Os bares e restaurantes também serão encerrados, sendo apenas autorizadas as vendas para os clientes levarem ('take-away') e entrega no domicílio.

"Multas severas com montantes elevados" estão previstas para os casos de desrespeito destas regras e ainda para o uso incorrecto de máscara, especificou o jornal estatal Tribuna de La Habana.

Em 2020, as escolas da capital tinham encerrado em meados de Março até ao fim de Outubro, com as outras a reabrirem desde Setembro, pelo impacto mais fraco da pandemia.

Este país, com 11,2 milhões de habitantes, conseguiu controlar a expansão da pandemia no seu território, o que lhe permitiu reiniciar a actividade económica e reabrir as fronteiras aos turistas, está agora confrontado, desde há semanas, com números inéditos de infecções.

Na quarta-feira, as autoridades sanitárias anunciaram 550 casos novos nas últimas 24 horas, elevando agora para 16.044 contaminações, incluindo 158 óbitos.

Entretanto, as aulas serão dadas através das televisões, a partir de quarta-feira, dia 20, informou, na rede social Twitter, a ministra da Educação, Ena Elsa Velazquez.

 

“A deslocação de veículos e pessoas será interdita a partir de quinta-feira, dia 14, entre as 19.00 e as 05.00", anunciou na quarta-feira a agência noticiosa cubana ACN, citando o Conselho de Defesa da Província de Havana.

Os bares e restaurantes também serão encerrados, sendo apenas autorizadas as vendas para os clientes levarem ('take-away') e entrega no domicílio.

"Multas severas com montantes elevados" estão previstas para os casos de desrespeito destas regras e ainda para o uso incorrecto de máscara, especificou o jornal estatal Tribuna de La Habana.

Em 2020, as escolas da capital tinham encerrado em meados de Março até ao fim de Outubro, com as outras a reabrirem desde Setembro, pelo impacto mais fraco da pandemia.

Este país, com 11,2 milhões de habitantes, conseguiu controlar a expansão da pandemia no seu território, o que lhe permitiu reiniciar a actividade económica e reabrir as fronteiras aos turistas, está agora confrontado, desde há semanas, com números inéditos de infecções.

Na quarta-feira, as autoridades sanitárias anunciaram 550 casos novos nas últimas 24 horas, elevando agora para 16.044 contaminações, incluindo 158 óbitos.

Entretanto, as aulas serão dadas através das televisões, a partir de quarta-feira, dia 20, informou, na rede social Twitter, a ministra da Educação, Ena Elsa Velazquez.