Deputado da CDU de Merkel demite-se após escândalo com venda de máscaras

Berlim - Um deputado da CDU, o partido da chanceler Angela Merkel, decidiu demitir-se após um escândalo relacionado com a venda de máscaras durante a pandemia.

Segundo a BBC, vieram a público na semana passada informações de que a empresa de Nikolas Löbel lucrou 250 mil euros com a venda de máscaras.

Inicialmente, Löbel assinalou que ia manter-se no CDU como deputado do parlamento alemão, mas esta segunda-feira anunciou a sua demissão com efeitos imediatos.

“De forma a evitar causar mais danos ao meu partido, demito-me do meu mandato parlamentar”, declarou Löbel, que cedeu assim às pressões dos líderes da CDU e da CSU, o partido irmão da CDU e que apenas está presente no estado da Baviera, para se demitir.

Outro deputado envolvido num escândalo semelhante também em torno de negócios com as máscaras de protecção facial, Georg Nüsslein, da CSU, revelou que vai deixar o partido e enfrenta fortes pressões para também deixar o parlamento alemão.

Estas notícias que abalam a CDU surgem a uma semana das eleições regionais em dois estados alemães, incluindo o de Baden-Württemberg, pelo qual Nikolas Löbel foi eleito e onde foram vendidas as máscaras na origem deste escândalo.

Como se isso não bastasse, há eleições legislativas em Setembro e Angela Merkel vai deixar o poder depois de mais de 15 anos a liderar os destinos da Alemanha. Uma sondagem do Bild divulgada este fim-de-semana mostrou que o apoio ao bloco CDU/CSU caiu para 32%.

Segundo a BBC, vieram a público na semana passada informações de que a empresa de Nikolas Löbel lucrou 250 mil euros com a venda de máscaras.

Inicialmente, Löbel assinalou que ia manter-se no CDU como deputado do parlamento alemão, mas esta segunda-feira anunciou a sua demissão com efeitos imediatos.

“De forma a evitar causar mais danos ao meu partido, demito-me do meu mandato parlamentar”, declarou Löbel, que cedeu assim às pressões dos líderes da CDU e da CSU, o partido irmão da CDU e que apenas está presente no estado da Baviera, para se demitir.

Outro deputado envolvido num escândalo semelhante também em torno de negócios com as máscaras de protecção facial, Georg Nüsslein, da CSU, revelou que vai deixar o partido e enfrenta fortes pressões para também deixar o parlamento alemão.

Estas notícias que abalam a CDU surgem a uma semana das eleições regionais em dois estados alemães, incluindo o de Baden-Württemberg, pelo qual Nikolas Löbel foi eleito e onde foram vendidas as máscaras na origem deste escândalo.

Como se isso não bastasse, há eleições legislativas em Setembro e Angela Merkel vai deixar o poder depois de mais de 15 anos a liderar os destinos da Alemanha. Uma sondagem do Bild divulgada este fim-de-semana mostrou que o apoio ao bloco CDU/CSU caiu para 32%.