Dez acusados por atentados em Bruxelas serão julgados no Tribunal Penal

  • Cuanza-Sul: Jozef Smets Embaixador Do Reino Da Bélgica em Angola
Bruxelas - Dez acusados de envolvimento nos atentados em Bruxelas, em 2016, vão ser julgados pelo Tribunal Penal da capital belga, uma instância que julga os casos mais graves e a única que pode decretar prisão perpétua.

"Dez arguidos remetidos nesta sexta-feira ao Tribunal Penal, pela Câmara de Acusação de Bruxelas nos casos de atentados à bomba em Bruxelas e Zaventem", anunciou o porta-voz do Ministério Público belga, Eric Van Duyse, na sua conta na rede social Twitter.

Os atentados de 22 de Março de 2016, reivindicados pelo auto designado Estado Islâmico, mataram 32 pessoas na estação de metro de Malbeck (Bruxelas) e no aeroporto internacional, em Zaventem.

Os acusados hoje remetidos para o Tribunal Penal serão julgados por assassínio e tentativa de assassínio cometidos num contexto de terrorismo e/ou participação em actividades de um grupo terrorista.

O julgamento deverá iniciar-se ainda em setembro, em data ainda por anunciar.

Entre os acusados encontra-se o franco-marroquino Salah Abdeslam que, juntamente com outros cinco arguidos, está a ser julgado em Paris pelos atentados de 13 de Novembro de 2015 na capital francesa, que causaram 130 mortos.

 

"Dez arguidos remetidos nesta sexta-feira ao Tribunal Penal, pela Câmara de Acusação de Bruxelas nos casos de atentados à bomba em Bruxelas e Zaventem", anunciou o porta-voz do Ministério Público belga, Eric Van Duyse, na sua conta na rede social Twitter.

Os atentados de 22 de Março de 2016, reivindicados pelo auto designado Estado Islâmico, mataram 32 pessoas na estação de metro de Malbeck (Bruxelas) e no aeroporto internacional, em Zaventem.

Os acusados hoje remetidos para o Tribunal Penal serão julgados por assassínio e tentativa de assassínio cometidos num contexto de terrorismo e/ou participação em actividades de um grupo terrorista.

O julgamento deverá iniciar-se ainda em setembro, em data ainda por anunciar.

Entre os acusados encontra-se o franco-marroquino Salah Abdeslam que, juntamente com outros cinco arguidos, está a ser julgado em Paris pelos atentados de 13 de Novembro de 2015 na capital francesa, que causaram 130 mortos.