EUA implantam bombardeiros B-52 na região do Indo-Pacífico

Washington - Um grupo de bombardeiros B-52 da Força Aérea dos EUA foram implantados na região do Indo-Pacífico para demonstrar empenho aos aliados na região, informou o Comando Estratégico norte-americano.

  •  

"Um grupo de B-52 Stratofortresses, soldados e equipamentos de apoio da Base da Força Aérea de Minot foram implantados na região do Indo-Pacífico em apoio à Força-Tarefa de Bombardeiros da Força Aérea do Pacífico [...] A BTF [Força-Tarefa de Bombardeiros] continua a demonstrar o empenho dos EUA aos aliados e parceiros na região do Indo-Pacífico", informou o comando.

O  Grupo de bombardeiros vai ficar estacionado na Base da Força Aérea de Andersen em Guam, de acordo com o comunicado.

Os bombardeiros participarão de exercícios de treinamento com a Força de Defesa Australiana durante o Talisman Sabre 2021, "com o objectivo de fortalecer a capacidade colectiva para apoiar um Indo-Pacífico livre e aberto".

Os EUA estão cada vez mais preocupados com o crescimento do poder militar da China na região do Indo-Pacífico, que tem supostamente elevado a sua presença na área.

Em Junho, foi reportado que o Pentágono estava a ponderar a implantação de uma força naval permanente no oceano Pacífico.

  •  

"Um grupo de B-52 Stratofortresses, soldados e equipamentos de apoio da Base da Força Aérea de Minot foram implantados na região do Indo-Pacífico em apoio à Força-Tarefa de Bombardeiros da Força Aérea do Pacífico [...] A BTF [Força-Tarefa de Bombardeiros] continua a demonstrar o empenho dos EUA aos aliados e parceiros na região do Indo-Pacífico", informou o comando.

O  Grupo de bombardeiros vai ficar estacionado na Base da Força Aérea de Andersen em Guam, de acordo com o comunicado.

Os bombardeiros participarão de exercícios de treinamento com a Força de Defesa Australiana durante o Talisman Sabre 2021, "com o objectivo de fortalecer a capacidade colectiva para apoiar um Indo-Pacífico livre e aberto".

Os EUA estão cada vez mais preocupados com o crescimento do poder militar da China na região do Indo-Pacífico, que tem supostamente elevado a sua presença na área.

Em Junho, foi reportado que o Pentágono estava a ponderar a implantação de uma força naval permanente no oceano Pacífico.