EUA prometem acelerar ritmo de deportação de migrantes aglomerados na fronteira Sul

Washington – O Governo norte-americano anunciou sábado que vai acelerar o ritmo de deportação aérea dos mais de 10.000 migrantes, sobretudo haitianos, aglomerados há vários dias debaixo de uma ponte no Texas, após atravessarem clandestinamente a fronteira com o México.

Os migrantes chegaram a Del Rio, no estado norte-americano do Texas, depois de atravessarem o Rio Grande.


De menos de 2000 no início da semana, passaram a mais de 10.500 na sexta-feira, de acordo com números fornecidos pelo presidente da câmara da cidade fronteiriça, Bruno Lozano, que esperava muitas novas chegadas.


Em comunicado, o Departamento de Segurança Interna anunciou que vai “obter mais transportes para acelerar o ritmo e aumentar a capacidade dos voos de expulsão para o Haiti e outros destinos” nas próximas 72 horas.


As imagens dos migrantes concentrados debaixo da ponte, ao calor, levaram nos últimos dias a oposição republicana e também algumas vozes democratas a instar o Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, a resolver a situação sem demora.


O autarca democrata de Del Rio decretou o estado de emergência e cortou na sexta-feira a circulação na ponte.

 

Os migrantes chegaram a Del Rio, no estado norte-americano do Texas, depois de atravessarem o Rio Grande.


De menos de 2000 no início da semana, passaram a mais de 10.500 na sexta-feira, de acordo com números fornecidos pelo presidente da câmara da cidade fronteiriça, Bruno Lozano, que esperava muitas novas chegadas.


Em comunicado, o Departamento de Segurança Interna anunciou que vai “obter mais transportes para acelerar o ritmo e aumentar a capacidade dos voos de expulsão para o Haiti e outros destinos” nas próximas 72 horas.


As imagens dos migrantes concentrados debaixo da ponte, ao calor, levaram nos últimos dias a oposição republicana e também algumas vozes democratas a instar o Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, a resolver a situação sem demora.


O autarca democrata de Del Rio decretou o estado de emergência e cortou na sexta-feira a circulação na ponte.