Explosão em fábrica de pirotecnia na Índia provoca 13 mortos e 26 feridos

Nova Deli - Uma explosão numa fábrica de pirotecnia no sul da Índia provocou hoje pelo menos 13 mortes e 26 feridos, em mais uma catástrofe industrial no país.

Segundo P. Perumal, superintendente da polícia da cidade ao Virudhunagar, no estado de Tâmil Nadu, onde ocorreu a explosão, os 26 feridos foram já transportados para hospitais na região.

Perumal adiantou que o incidente ocorreu às 13:30 locais (09:00 em Lisboa) e que as primeiras investigações sugerem que os trabalhadores da fábrica estavam a misturar vários componentes químicos necessários para a produção de artefactos pirotécnicos quando ocorreu a explosão.

O fogo foi, entretanto, extinto pelos bombeiros, acrescentou.

Num comunicado, o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, expressou solidariedade com os familiares das vítimas mortais e anunciou que irão compensações económicas para os que foram afectados pela "tragédia".

Os deslizamentos de terra, incêndios e outros acidentes industriais são comuns na Índia, muitas vezes devido à infra-estrutura deficiente e má manutenção, factores alimentados pela corrupção e práticas ilegais no sector de construção.

Em Janeiro deste ano, 24 pessoas morreram num desabamento num crematório municipal durante um funeral no norte do país, desencadeando a indignação de centenas de pessoas que denunciaram a precariedade das obras municipais.

Também no mês passado, dez bebés morreram num incêndio num hospital no oeste da Índia, que trouxe muitas críticas pela negligência em relação às medidas de segurança.

Segundo os últimos dados oficiais disponíveis, referentes a 2018, nesse ano ocorreram 13.099 incêndios em edifícios governamentais, escolas, residências e outros locais na Índia, nos quais 12.748 pessoas morreram e 777 ficaram feridas.

Segundo P. Perumal, superintendente da polícia da cidade ao Virudhunagar, no estado de Tâmil Nadu, onde ocorreu a explosão, os 26 feridos foram já transportados para hospitais na região.

Perumal adiantou que o incidente ocorreu às 13:30 locais (09:00 em Lisboa) e que as primeiras investigações sugerem que os trabalhadores da fábrica estavam a misturar vários componentes químicos necessários para a produção de artefactos pirotécnicos quando ocorreu a explosão.

O fogo foi, entretanto, extinto pelos bombeiros, acrescentou.

Num comunicado, o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, expressou solidariedade com os familiares das vítimas mortais e anunciou que irão compensações económicas para os que foram afectados pela "tragédia".

Os deslizamentos de terra, incêndios e outros acidentes industriais são comuns na Índia, muitas vezes devido à infra-estrutura deficiente e má manutenção, factores alimentados pela corrupção e práticas ilegais no sector de construção.

Em Janeiro deste ano, 24 pessoas morreram num desabamento num crematório municipal durante um funeral no norte do país, desencadeando a indignação de centenas de pessoas que denunciaram a precariedade das obras municipais.

Também no mês passado, dez bebés morreram num incêndio num hospital no oeste da Índia, que trouxe muitas críticas pela negligência em relação às medidas de segurança.

Segundo os últimos dados oficiais disponíveis, referentes a 2018, nesse ano ocorreram 13.099 incêndios em edifícios governamentais, escolas, residências e outros locais na Índia, nos quais 12.748 pessoas morreram e 777 ficaram feridas.