Força Aérea dos EUA com 15 por cento da frota de F-35 fora de serviço

Washington - Dezenas de caças F-35 da Força Aérea norte-americana estão actualmente fora de serviço devido a problemas de manutenção, segundo altos funcionários do Congresso.

  •  

A subsecretária interina da Força Aérea dos EUA para Aquisições, Tecnologia e Logística, Darlene Costello, detalhou que se trata de um total de 41 aeronaves.

Darlene Costello detalhou que 41 aeronaves F-35A estão sem motor, o que corresponde a quase 15 por cento da frota norte-americana destes jactos,informou a revista Air Force Magazine.

Os dados foram confirmados pelo executivo do programa F-35, o tenente-coronel Eric Fick, que detalhou que alguns destes caças esperam por diversas peças de reposição ou previsam de motores F135 melhorados, um equipamento que eleva o empuxo e o rendimento da aeronave.

Sobre o assunto, Costello informou que actualmente 56 motores F135 estão a ser reparados na Base Tinker da Força Aérea, em Oklahoma.

Fick também explicou que alguns problemas estão relacionados com o revestimento da superfície das pás das turbinas, que sofrem superaquecimento, causando fissuras e fazendo com que os motores tenham que passar por manutenção antes do tempo previsto..

"É provável que precisemos de uma maior potência e uma maior capacidade de gestão térmica de nosso sistema de propulsão, acredito que haja a necessidade de buscar opções a partir desta perspectiva", afirmou o tenente-coronel.

O escritório do programa F-35 está a trabalhar para reduzir o tempo de manutenção na base Tinker e realizar operações de manutenção em outras instalações.

Fick reconhece que "os custos de um motor em manutenção são desafiantes", porém ao mesmo tempo ressalta que nenhuma entrega de F-35 atrasou devido ao componente.

Um porta-voz da empresa de motores militares Pratt & Whitney, citado pelo portal Military, afirmou que teve um progresso significativo nos últimos meses para reduzir o tempo de reparação dos seus motores e que a empresa está a caminho de produzir o dobro de unidades propulsoras que fabricou em 2020.

...

30

  •  

A subsecretária interina da Força Aérea dos EUA para Aquisições, Tecnologia e Logística, Darlene Costello, detalhou que se trata de um total de 41 aeronaves.

Darlene Costello detalhou que 41 aeronaves F-35A estão sem motor, o que corresponde a quase 15 por cento da frota norte-americana destes jactos,informou a revista Air Force Magazine.

Os dados foram confirmados pelo executivo do programa F-35, o tenente-coronel Eric Fick, que detalhou que alguns destes caças esperam por diversas peças de reposição ou previsam de motores F135 melhorados, um equipamento que eleva o empuxo e o rendimento da aeronave.

Sobre o assunto, Costello informou que actualmente 56 motores F135 estão a ser reparados na Base Tinker da Força Aérea, em Oklahoma.

Fick também explicou que alguns problemas estão relacionados com o revestimento da superfície das pás das turbinas, que sofrem superaquecimento, causando fissuras e fazendo com que os motores tenham que passar por manutenção antes do tempo previsto..

"É provável que precisemos de uma maior potência e uma maior capacidade de gestão térmica de nosso sistema de propulsão, acredito que haja a necessidade de buscar opções a partir desta perspectiva", afirmou o tenente-coronel.

O escritório do programa F-35 está a trabalhar para reduzir o tempo de manutenção na base Tinker e realizar operações de manutenção em outras instalações.

Fick reconhece que "os custos de um motor em manutenção são desafiantes", porém ao mesmo tempo ressalta que nenhuma entrega de F-35 atrasou devido ao componente.

Um porta-voz da empresa de motores militares Pratt & Whitney, citado pelo portal Military, afirmou que teve um progresso significativo nos últimos meses para reduzir o tempo de reparação dos seus motores e que a empresa está a caminho de produzir o dobro de unidades propulsoras que fabricou em 2020.

...

30