Forças Armadas da Ucrânia iniciam manobras junto à Crimeia

Kiev - O Exército ucraniano está a realizar manobras com carros de combate e artilharia nas regiões vizinhas à Península da Crimeia anexada ilegalmente em 2014 pela Rússia, anunciaram hoje as Forças Armadas da Ucrânia.

Tanques e unidades de artilharia sob as ordens do Comando das Forças Conjuntas da Ucrânia estão a treinar condições de combate", disse o tenente-general ucraniano Serguei Nayev, citado numa nota publicada na plataforma digital Facebook.

As Forças Armadas ucranianas, que não informaram sobre o número de militares envolvidos, referem que a artilharia e os carros de combate cumprem missões "ao longo da fronteira com o território temporariamente ocupado da Crimeia" com o objetivo de "estancar uma ofensiva de um inimigo virtual".

Os exercícios militares ucranianos coincidem com o considerável incremento da presença se forças russas junto à linha de fronteira.

A Rússia já comunicou que trata-se de uma resposta às "actividades ameaçadoras" da Aliança Atlântica na região.

Segundo o gabinete de imprensa da presidência ucraniana, cerca de 80 mil soldados russos foram destacados para a fronteira com a Ucrânia e a Crimeia.

O chefe de Estado Maior da Ucrânia, Ruslan Jomchak, indica que trata-se da presença de cerca de 50 mil soldados russos. 

 

Tanques e unidades de artilharia sob as ordens do Comando das Forças Conjuntas da Ucrânia estão a treinar condições de combate", disse o tenente-general ucraniano Serguei Nayev, citado numa nota publicada na plataforma digital Facebook.

As Forças Armadas ucranianas, que não informaram sobre o número de militares envolvidos, referem que a artilharia e os carros de combate cumprem missões "ao longo da fronteira com o território temporariamente ocupado da Crimeia" com o objetivo de "estancar uma ofensiva de um inimigo virtual".

Os exercícios militares ucranianos coincidem com o considerável incremento da presença se forças russas junto à linha de fronteira.

A Rússia já comunicou que trata-se de uma resposta às "actividades ameaçadoras" da Aliança Atlântica na região.

Segundo o gabinete de imprensa da presidência ucraniana, cerca de 80 mil soldados russos foram destacados para a fronteira com a Ucrânia e a Crimeia.

O chefe de Estado Maior da Ucrânia, Ruslan Jomchak, indica que trata-se da presença de cerca de 50 mil soldados russos.