França chama embaixadores nos EUA e Austrália devido à quebra de contrato

Paris - O Ministério dos Negócios Estrangeiros francês chamou hoje, sexta-feira, para consultas os seus embaixadores em Camberra e Washington, qualificando de acto de "gravidade excepcional" a quebra pela Austrália do contrato para compra de 12 submarinos franceses.

"A pedido do Presidente da República, decidi chamar imediatamente a Paris para consultas os nossos dois embaixadores nos Estados Unidos e na Austrália", anunciou o ministro dos Negócios Estrangeiros, Jean-Yves Le Drian, em comunicado enviado às redacções.

"Esta decisão excepcional é justificada pela gravidade excepcional dos anúncios feitos pela Austrália e pelos Estados Unidos no dia 15 de Setembro", adiantou.

Camberra comprometeu-se em 2016 a comprar 12 submarinos à empresa francesa Naval Group por um valor de 34 mil milhões de euros, naquele que foi apelidado o "contrato do século".

Na quarta-feira, o primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, anunciou o fim deste contrato, entregando a encomenda aos Estados Unidos.

"A pedido do Presidente da República, decidi chamar imediatamente a Paris para consultas os nossos dois embaixadores nos Estados Unidos e na Austrália", anunciou o ministro dos Negócios Estrangeiros, Jean-Yves Le Drian, em comunicado enviado às redacções.

"Esta decisão excepcional é justificada pela gravidade excepcional dos anúncios feitos pela Austrália e pelos Estados Unidos no dia 15 de Setembro", adiantou.

Camberra comprometeu-se em 2016 a comprar 12 submarinos à empresa francesa Naval Group por um valor de 34 mil milhões de euros, naquele que foi apelidado o "contrato do século".

Na quarta-feira, o primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, anunciou o fim deste contrato, entregando a encomenda aos Estados Unidos.