Geórgia/Eleições: Partido no poder e oposição reclamam vitória nas legislativas

  • Bandeira da Georgia
Tiblissi - O partido no poder na Geórgia e a união formada por vários grupos da oposição reivindicaram ambos vitória nas eleições legislativas de hoje, numa altura em que as sondagens ainda apontam para resultados contraditórios.

Em declarações a um canal de televisão, o antigo primeiro-ministro Bidzina Ivanichvili, líder do partido no poder e considerado o homem mais rico da Geórgia, afirmou que o seu partido "venceu as eleições pela terceira vez consecutiva".

A vitória nestas legislativas foi também reclamada pelo seu principal rival nestas eleições, o ex-presidente no exílio Mikheil Saakashvili, do Movimento Nacional Unido (MNU).

Também através da televisão, Mikheil Saakashvili assegurou que "os partidos da oposição conquistaram uma vitória triunfante".

Uma sondagem à boca das urnas realizada pelo canal de televisão pró-governamental Imedi TV atribuiu a vitória ao partido Sonho Georgiano, com 55% dos votos, enquanto o canal de televisão Mtavari TV atribuiu à união de grupos da oposição 52% dos votos.

As eleições legislativas que decorreram hoje acabaram por ser marcadas pela união inédita da oposição contra o partido Sonho Georgiano, no poder desde 2012, e que tem sido acusado de repressão a opositores e de corrupção.

"Os partidos da oposição devem agora formar um governo de unidade nacional", disse Mikheil Saakashvili, numa comunicação a partir da Ucrânia, onde se encontra exilado e é conselheiro do Presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy.

As regras eleitorais na Geórgia poderão levar a que os resultados destas legislativas apenas sejam conhecidos no final de Novembro.

Os resultados provisórios deverão, no entanto, ainda ser conhecidos hoje.

Em declarações a um canal de televisão, o antigo primeiro-ministro Bidzina Ivanichvili, líder do partido no poder e considerado o homem mais rico da Geórgia, afirmou que o seu partido "venceu as eleições pela terceira vez consecutiva".

A vitória nestas legislativas foi também reclamada pelo seu principal rival nestas eleições, o ex-presidente no exílio Mikheil Saakashvili, do Movimento Nacional Unido (MNU).

Também através da televisão, Mikheil Saakashvili assegurou que "os partidos da oposição conquistaram uma vitória triunfante".

Uma sondagem à boca das urnas realizada pelo canal de televisão pró-governamental Imedi TV atribuiu a vitória ao partido Sonho Georgiano, com 55% dos votos, enquanto o canal de televisão Mtavari TV atribuiu à união de grupos da oposição 52% dos votos.

As eleições legislativas que decorreram hoje acabaram por ser marcadas pela união inédita da oposição contra o partido Sonho Georgiano, no poder desde 2012, e que tem sido acusado de repressão a opositores e de corrupção.

"Os partidos da oposição devem agora formar um governo de unidade nacional", disse Mikheil Saakashvili, numa comunicação a partir da Ucrânia, onde se encontra exilado e é conselheiro do Presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy.

As regras eleitorais na Geórgia poderão levar a que os resultados destas legislativas apenas sejam conhecidos no final de Novembro.

Os resultados provisórios deverão, no entanto, ainda ser conhecidos hoje.