Hezbollah anuncia aumento do número de mísseis de precisão

Beirute - O líder do Hezbollah, no Líbano, disse no domingo que o "Partido de Deus" tem actualmente o dobro de mísseis teleguiados de precisão, em relação ao ano passado, acrescentando que falharam os esforços de Israel para impedir o acesso ao armamento.

Hassan Nasrallah, numa entrevista de "balanço anual" à estação de televisão de Beirute Al-Mayadeen TV, disse que o Hezbollah tem capacidade para atacar qualquer ponto de Israel ou os territórios palestinianos ocupados.

O líder recordou que quando Israel ameaçou, com a ajuda dos Estados Unidos, atingir as instalações do partido no vale de Bekaa, no Líbano, o grupo avisou que tinha capacidade para retaliar.

Nos últimos meses Israel tem demonstrado preocupação sobre as tentativas do Hezbollah em instalar unidades capazes de produzir mísseis teleguiados de precisão.

Na mesma entrevista, que se prolongou durante quatro horas, Nasrallah, disse que as últimas semanas de administraçãoTrump"podem ser críticas e devem ser encaradas com cuidado".

Referiu-se ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, como "homem zangado" e "louco".

Na entrevista, o líder do Hezbollah reiterou os pedidos ao Irão e os seus aliados na vingança pela morte do general iraniano Qassim Soleiman, assassinado no ano passado num ataque com um aparelho não tripulado (drone) das forças dos Estados Unidos, no Iraque.

"A vingança vai acontecer seja quando for", disse o dirigente do Hezbollah à Al-Mayadeen TV que apareceu nas imagens com uma fotografia de Soleimani.

Nasrallah também prometeu vingar-se da morte de um combatente do Hezbollah na Síria pelas forças militares israelitas.

Referindo-se à próxima administração norte-americana do presidente Joe Biden, Nasrallah disse que o Irão não vai negociar com os Estados Unidos em nome dos aliados iranianos ou negociar sobre conflitos na região.

O dirigente do grupo radical apontado como terrorista pelos Estados Unidos afirmou que Washington só vai negociar com o Irão sobre o programa nuclear.

 

Hassan Nasrallah, numa entrevista de "balanço anual" à estação de televisão de Beirute Al-Mayadeen TV, disse que o Hezbollah tem capacidade para atacar qualquer ponto de Israel ou os territórios palestinianos ocupados.

O líder recordou que quando Israel ameaçou, com a ajuda dos Estados Unidos, atingir as instalações do partido no vale de Bekaa, no Líbano, o grupo avisou que tinha capacidade para retaliar.

Nos últimos meses Israel tem demonstrado preocupação sobre as tentativas do Hezbollah em instalar unidades capazes de produzir mísseis teleguiados de precisão.

Na mesma entrevista, que se prolongou durante quatro horas, Nasrallah, disse que as últimas semanas de administraçãoTrump"podem ser críticas e devem ser encaradas com cuidado".

Referiu-se ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, como "homem zangado" e "louco".

Na entrevista, o líder do Hezbollah reiterou os pedidos ao Irão e os seus aliados na vingança pela morte do general iraniano Qassim Soleiman, assassinado no ano passado num ataque com um aparelho não tripulado (drone) das forças dos Estados Unidos, no Iraque.

"A vingança vai acontecer seja quando for", disse o dirigente do Hezbollah à Al-Mayadeen TV que apareceu nas imagens com uma fotografia de Soleimani.

Nasrallah também prometeu vingar-se da morte de um combatente do Hezbollah na Síria pelas forças militares israelitas.

Referindo-se à próxima administração norte-americana do presidente Joe Biden, Nasrallah disse que o Irão não vai negociar com os Estados Unidos em nome dos aliados iranianos ou negociar sobre conflitos na região.

O dirigente do grupo radical apontado como terrorista pelos Estados Unidos afirmou que Washington só vai negociar com o Irão sobre o programa nuclear.