Índia: Dezenas de milhares de pessoas retiradas por causa de ciclone

  • Bandeira da Índia
Nova Deli - Dezenas de milhares de pessoas foram retiradas de três estados indianos antes da chegada prevista do ciclone Gulab à costa oriental do país, hoje (domingo) à noite, segundo as autoridades.

O ciclone, com rajadas de até 95km/h, deverá localizar-se entre os dois estados costeiros de Odisha e Andhra Pradesh, disse o Departamento de Meteorologia indiano.

A tempestade prevê-se acompanhada de "chuvas extremamente fortes" na Baía de Bengala, acrescentou a agência, num boletim meteorológico.

As autoridades dos dois Estados ameaçados pediram às pessoas que vivem perto da linha costeira que se retirassem para abrigos e salientou que centenas de elementos de operações de salvamento e socorro foram enviados para a zona.

As autoridades de Bengala Ocidental, a norte de Odisha, disseram que também tomariam precauções, embora não se espere que o Estado seja directamente afectado pelo ciclone.

"Já retirámos mais de 20.000 pessoas para escolas e edifícios governamentais, convertidos em abrigos para ciclones", disse à agência de notícias francesa AFP o oficial do estado Bankim Hazra.

Em Odisha, a evacuação já está em curso em sete distritos, segundo o oficial P.K. Jena, enquanto em Andhra Pradesh, 85.000 pessoas deverão ser deslocadas.

O norte do Oceano Índico está a ser atingido cada vez com mais regularidade, por severos ciclones, um agravamento que os cientistas atribuem ao aquecimento global.

Em Maio, o ciclone Yaas, com rajadas até 155 quilómetros por hora, deixou milhares de indianos sem casa e matou pelo menos 20 pessoas.

Os danos ascenderam a mais de dois mil milhões de dólares (1,71 milhões de euros) em Odisha, Bengala Ocidental e no vizinho Bangladesh.

 

O ciclone, com rajadas de até 95km/h, deverá localizar-se entre os dois estados costeiros de Odisha e Andhra Pradesh, disse o Departamento de Meteorologia indiano.

A tempestade prevê-se acompanhada de "chuvas extremamente fortes" na Baía de Bengala, acrescentou a agência, num boletim meteorológico.

As autoridades dos dois Estados ameaçados pediram às pessoas que vivem perto da linha costeira que se retirassem para abrigos e salientou que centenas de elementos de operações de salvamento e socorro foram enviados para a zona.

As autoridades de Bengala Ocidental, a norte de Odisha, disseram que também tomariam precauções, embora não se espere que o Estado seja directamente afectado pelo ciclone.

"Já retirámos mais de 20.000 pessoas para escolas e edifícios governamentais, convertidos em abrigos para ciclones", disse à agência de notícias francesa AFP o oficial do estado Bankim Hazra.

Em Odisha, a evacuação já está em curso em sete distritos, segundo o oficial P.K. Jena, enquanto em Andhra Pradesh, 85.000 pessoas deverão ser deslocadas.

O norte do Oceano Índico está a ser atingido cada vez com mais regularidade, por severos ciclones, um agravamento que os cientistas atribuem ao aquecimento global.

Em Maio, o ciclone Yaas, com rajadas até 155 quilómetros por hora, deixou milhares de indianos sem casa e matou pelo menos 20 pessoas.

Os danos ascenderam a mais de dois mil milhões de dólares (1,71 milhões de euros) em Odisha, Bengala Ocidental e no vizinho Bangladesh.