Índia: Morre homem que deixa 39 viúvas e 137 filhos e netos

  • Bandeira da Índia
Nova Deli - Um polígamo e líder de uma seita, que tinha 39 esposas e pelo menos 127 filhos e netos, morreu aos 76 anos no nordeste da Índia, indicaram as autoridades.

Zionnghaka Chana, que vivia no isolado estado de Mizoram como patriarca de uma das maiores famílias do mundo, sofria de diabetes e hipertensão e faleceu no domingo num hospital.

O ministro de Mizoram, Zoramthanga, postou no Twitter no domingo à noite que o estado se despedia de Chana com "o coração pesado".

"Mizoram e o seu vilarejo em Baktawng Tlangnuam tornaram-se uma grande atracção turística do estado, graças a esta família", acrescentou Zoramthanga.

A seita foi fundada pelo avô de Chana na década de 1930 e tem cerca de 1.700 membros, incluindo quatro gerações da família Chana, vários dos quais trabalham em marcenaria ou cerâmica.

A sua filosofia é baseada nos princípios cristãos, apesar do facto de que os líderes da Igreja Presbiteriana, a principal religião neste estado, rejeitam a poligamia de Chana.

Casou-se pela primeira vez aos 17 anos, segundo a imprensa local.

Zionnghaka Chana, que vivia no isolado estado de Mizoram como patriarca de uma das maiores famílias do mundo, sofria de diabetes e hipertensão e faleceu no domingo num hospital.

O ministro de Mizoram, Zoramthanga, postou no Twitter no domingo à noite que o estado se despedia de Chana com "o coração pesado".

"Mizoram e o seu vilarejo em Baktawng Tlangnuam tornaram-se uma grande atracção turística do estado, graças a esta família", acrescentou Zoramthanga.

A seita foi fundada pelo avô de Chana na década de 1930 e tem cerca de 1.700 membros, incluindo quatro gerações da família Chana, vários dos quais trabalham em marcenaria ou cerâmica.

A sua filosofia é baseada nos princípios cristãos, apesar do facto de que os líderes da Igreja Presbiteriana, a principal religião neste estado, rejeitam a poligamia de Chana.

Casou-se pela primeira vez aos 17 anos, segundo a imprensa local.