Irão impõe sanções simbólicas ao Presidente cessante Donald Trump

Teerão - O Irão impôs hoje sanções ao Presidente cessante dos EUA Donald Trump e a diversos membros da sua administração sobre o seu alegado apoio ao "terrorismo", de acordo com a página digital do Ministério dos Negócios Estrangeiros iraniano.

O porta-voz do ministério, Saeed Khatibzadeh, indicou que para além de Trump, as sanções são dirigidas ao secretário de Estado, Mike Pompeo, ao secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, à chefe da CIA, Gina Haspel, e a seis outros responsáveis oficiais.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros iraniano não especificou que género de sanções foram impostas.

O Irão tem imposto espaçadamente sanções simbólicas a responsáveis oficiais dos EUA. O anúncio de hoje coincide com o último dia de Trump na Sala Oval da Casa Branca.

Khatibzadeh disse que as sanções têm por base a lei iraniana, e são o resultado do envolvimento da administração Trump no assassínio do general iraniano Qassem Soleimani em Janeiro de 2020, e no seu apoio a Israel no seu conflito com os palestinianos.

O porta-voz da diplomacia iraniana também se referiu ao suposto envolvimento dos Estados Unidos na morte do cientista nuclear iraniano Mohsen Fakhrizadeh em Dezembro, e no seu alegado desempenho na "guerra criminal" no Iémen.

Em Dezembro, o Irão impôs sanções ao embaixador dos EUA no Iémen pelo seu alegado apoio aos ataques aéreos da coligação liderada pela Arábia Saudita contra as forças Huthis do Iémen, apoiados por Teerão.

O porta-voz do ministério, Saeed Khatibzadeh, indicou que para além de Trump, as sanções são dirigidas ao secretário de Estado, Mike Pompeo, ao secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, à chefe da CIA, Gina Haspel, e a seis outros responsáveis oficiais.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros iraniano não especificou que género de sanções foram impostas.

O Irão tem imposto espaçadamente sanções simbólicas a responsáveis oficiais dos EUA. O anúncio de hoje coincide com o último dia de Trump na Sala Oval da Casa Branca.

Khatibzadeh disse que as sanções têm por base a lei iraniana, e são o resultado do envolvimento da administração Trump no assassínio do general iraniano Qassem Soleimani em Janeiro de 2020, e no seu apoio a Israel no seu conflito com os palestinianos.

O porta-voz da diplomacia iraniana também se referiu ao suposto envolvimento dos Estados Unidos na morte do cientista nuclear iraniano Mohsen Fakhrizadeh em Dezembro, e no seu alegado desempenho na "guerra criminal" no Iémen.

Em Dezembro, o Irão impôs sanções ao embaixador dos EUA no Iémen pelo seu alegado apoio aos ataques aéreos da coligação liderada pela Arábia Saudita contra as forças Huthis do Iémen, apoiados por Teerão.