Israel autoriza construção de quase 800 casas nas colónias

Jerusalém - Israel aprovou neste domingo (17) a construção de 780 casas em colónias na Cisjordânia ocupada, uma ordem emitida no início desta semana pelo primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, de acordo com a organização anti-assentamento A Paz Agora.

Durante a campanha para as eleições legislativas de 23 de Março, Netanyahu prometeu "avançar na construção de cerca de 800 casas na Judéia-Samaria", segundo o nome bíblico usado em Israel para a Cisjordânia, território palestiniano ocupado desde 1967 pelas forças armadas israelitas, segundo um comunicado do Gabinete do Chefe do Governo.

"O Conselho Superior de Planeamento aprovou hoje o plano de construção de 780 casas", indicou o A Paz Agora na nota.

“Ao promover centenas de casas para colonos, Netanyahu mais uma vez coloca os seus interesses pessoais antes dos do estado”, denunciou a organização.

A decisão israelita sobre a construção de quase 800 casas "é contrária ao direito internacional e mina ainda mais a perspectiva de uma solução de dois Estados", sublinhou o porta-voz do chefe da diplomacia europeia, Josep Borrell.

“Pedimos ao Governo israelita que reverta essas decisões” e “demonstre responsabilidade em afirmar a confiança entre as partes, necessária para a retomada das negociações israelo-palestinianas”, acrescentou o porta-voz.

O anúncio israelita ocorre a poucos dias da posse do presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, que desaprova a expansão das colónias israelitas e promete intensificar os esforços para criar um Estado palestiniano.

Durante a campanha para as eleições legislativas de 23 de Março, Netanyahu prometeu "avançar na construção de cerca de 800 casas na Judéia-Samaria", segundo o nome bíblico usado em Israel para a Cisjordânia, território palestiniano ocupado desde 1967 pelas forças armadas israelitas, segundo um comunicado do Gabinete do Chefe do Governo.

"O Conselho Superior de Planeamento aprovou hoje o plano de construção de 780 casas", indicou o A Paz Agora na nota.

“Ao promover centenas de casas para colonos, Netanyahu mais uma vez coloca os seus interesses pessoais antes dos do estado”, denunciou a organização.

A decisão israelita sobre a construção de quase 800 casas "é contrária ao direito internacional e mina ainda mais a perspectiva de uma solução de dois Estados", sublinhou o porta-voz do chefe da diplomacia europeia, Josep Borrell.

“Pedimos ao Governo israelita que reverta essas decisões” e “demonstre responsabilidade em afirmar a confiança entre as partes, necessária para a retomada das negociações israelo-palestinianas”, acrescentou o porta-voz.

O anúncio israelita ocorre a poucos dias da posse do presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, que desaprova a expansão das colónias israelitas e promete intensificar os esforços para criar um Estado palestiniano.