Joe Biden felicita novo Governo de Israel

  • Joe Biden, Presidente eleito dos Estados Unidos da América
Washington - O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, felicitou hoje o novo primeiro-ministro de Israel, Naftali Bennett, que sucede a Benjamin Netanyahu, que esteve no poder durante 12 anos, noticiou a Lusa.

“Em nome do povo norte-americano, felicito o primeiro-ministro, Naftali Bennett, o primeiro-ministro suplente e ministro das Relações Exteriores, Yair Lapid, e todos os membros do novo governo israelita”, afirmou Biden em comunicado divulgado pela agência de notícias francesa AFO.
No documento, o presidente norte-americano acrescentou estar “ansioso para trabalhar” com Bennett” no fortalecimento das relações entre nos dois países.

 


“Israel não tem melhor amigo do que os Estados Unidos. O vínculo entre os nossos povos é a prova dos valores que partilhamos e de décadas de estreita cooperação”, acrescentou.


Joe Biden disse que “os Estados Unidos vão continuar a apoiar firmemente a segurança de Israel” e que o seu Governo “está totalmente comprometido em trabalhar com o novo Governo de Israel para promover a segurança, estabilidade e paz para israelitas, palestinianos e todos os povos da região”, concluiu.


O parlamento de Israel aprovou hoje o Governo de coligação do novo primeiro-ministro Naftali Bennett.


Dos 119 deputados presentes (de um parlamento de 120), 60 votaram a favor da nova coligação, que integra partidos que vão desde a direita à esquerda, incluindo o apoio de um partido árabe.


Cinquenta e nove deputados, a maioria do partido Likud de Netanyahu e de partidos de extrema-direita e ultraortodoxos, opuseram-se a esta nova solução governativa para Israel.


O parlamento israelita aprovou, assim, um voto de confiança no “governo de mudança” liderado pelo líder da direita radical Naftali Bennett e pelo líder centrista Yair Lapid, encerrando mais de 12 anos de governação de Benjamin Netanyahu.


A coligação que governa Israel a partir de hoje reúne dois partidos de esquerda, dois do centro, três da direita e, num caso muito raro na história de Israel, um partido árabe – o Raam – do islâmico moderado Mansour Abbas.


Netanyahu permaneceu em silêncio durante a votação, tendo, de seguida, cumprimentado Naftali Bennett, antes de se sentar brevemente no lugar do líder da oposição.

 

“Em nome do povo norte-americano, felicito o primeiro-ministro, Naftali Bennett, o primeiro-ministro suplente e ministro das Relações Exteriores, Yair Lapid, e todos os membros do novo governo israelita”, afirmou Biden em comunicado divulgado pela agência de notícias francesa AFO.
No documento, o presidente norte-americano acrescentou estar “ansioso para trabalhar” com Bennett” no fortalecimento das relações entre nos dois países.

 


“Israel não tem melhor amigo do que os Estados Unidos. O vínculo entre os nossos povos é a prova dos valores que partilhamos e de décadas de estreita cooperação”, acrescentou.


Joe Biden disse que “os Estados Unidos vão continuar a apoiar firmemente a segurança de Israel” e que o seu Governo “está totalmente comprometido em trabalhar com o novo Governo de Israel para promover a segurança, estabilidade e paz para israelitas, palestinianos e todos os povos da região”, concluiu.


O parlamento de Israel aprovou hoje o Governo de coligação do novo primeiro-ministro Naftali Bennett.


Dos 119 deputados presentes (de um parlamento de 120), 60 votaram a favor da nova coligação, que integra partidos que vão desde a direita à esquerda, incluindo o apoio de um partido árabe.


Cinquenta e nove deputados, a maioria do partido Likud de Netanyahu e de partidos de extrema-direita e ultraortodoxos, opuseram-se a esta nova solução governativa para Israel.


O parlamento israelita aprovou, assim, um voto de confiança no “governo de mudança” liderado pelo líder da direita radical Naftali Bennett e pelo líder centrista Yair Lapid, encerrando mais de 12 anos de governação de Benjamin Netanyahu.


A coligação que governa Israel a partir de hoje reúne dois partidos de esquerda, dois do centro, três da direita e, num caso muito raro na história de Israel, um partido árabe – o Raam – do islâmico moderado Mansour Abbas.


Netanyahu permaneceu em silêncio durante a votação, tendo, de seguida, cumprimentado Naftali Bennett, antes de se sentar brevemente no lugar do líder da oposição.