Justiça russa condena porta-voz do líder da oposição a nove dias de prisão

Moscovo - A Justiça russa sentenciou hoje Kira Iarmich, porta-voz do líder da oposição russa Alexei Navalny, a nove dias de prisão por promover protestos em apoio a este activista anti-corrupção, actualmente em prisão preventiva.

"Sentenciaram-me a nove dias", escreveu Iarmich numa mensagem publicada na rede social Twitter.

Apesar da condenação, a porta-voz da oposição russa insistiu nos seus apelos aos seguidores de Navalny para que se mobilizem em todo o país no sábado.

"Bem, vocês sabem o que fazer. Em 23 de Janeiro, às 14h00, horário de Moscovo (12:00 em Angola), venham para as principais avenidas das vossas cidades!", escreveu.

A advogada de Kira Iarmich, Veronika Poliakova, anunciou que irá recorrer da sentença na segunda-feira, segundo a agência noticiosa Interfax.

Iarmich foi detida na quinta-feira, assim como outra aliada de Navalny, a política e advogada do Fundo de Combate à Corrupção (FBK) Lioubov Sobol, sendo que hoje também outros apoiantes de Navalny foram detidos.

Navalny foi detido no último domingo ao chegar a Moscovo depois de um período de convalescença na Alemanha do envenenamento que sofreu em Agosto passado - através de um agente tóxico da família Novichok -, que, segundo o opositor, foi ordenado pelo Presidente russo, Vladimir Putin.

O Serviço Penitenciário Federal da Rússia acusou Navalny de ter violado a sua liberdade condicional - relacionada com uma sentença de prisão de três anos e meio ditada pela justiça russa em 2014 e declarada ilegal pelo Tribunal Europeu de Direitos Humanos - ao procurar tratamento médico no estrangeiro.

Navalny terá de permanecer preso preventivamente por pelo menos 15 dias.

Após a sua prisão, a sua equipa convocou protestos em 90 cidades russas para este sábado, diante dos quais as autoridades alertaram que essas manifestações não foram autorizadas e ameaçaram os que nelas participem com medidas drásticas.

"Sentenciaram-me a nove dias", escreveu Iarmich numa mensagem publicada na rede social Twitter.

Apesar da condenação, a porta-voz da oposição russa insistiu nos seus apelos aos seguidores de Navalny para que se mobilizem em todo o país no sábado.

"Bem, vocês sabem o que fazer. Em 23 de Janeiro, às 14h00, horário de Moscovo (12:00 em Angola), venham para as principais avenidas das vossas cidades!", escreveu.

A advogada de Kira Iarmich, Veronika Poliakova, anunciou que irá recorrer da sentença na segunda-feira, segundo a agência noticiosa Interfax.

Iarmich foi detida na quinta-feira, assim como outra aliada de Navalny, a política e advogada do Fundo de Combate à Corrupção (FBK) Lioubov Sobol, sendo que hoje também outros apoiantes de Navalny foram detidos.

Navalny foi detido no último domingo ao chegar a Moscovo depois de um período de convalescença na Alemanha do envenenamento que sofreu em Agosto passado - através de um agente tóxico da família Novichok -, que, segundo o opositor, foi ordenado pelo Presidente russo, Vladimir Putin.

O Serviço Penitenciário Federal da Rússia acusou Navalny de ter violado a sua liberdade condicional - relacionada com uma sentença de prisão de três anos e meio ditada pela justiça russa em 2014 e declarada ilegal pelo Tribunal Europeu de Direitos Humanos - ao procurar tratamento médico no estrangeiro.

Navalny terá de permanecer preso preventivamente por pelo menos 15 dias.

Após a sua prisão, a sua equipa convocou protestos em 90 cidades russas para este sábado, diante dos quais as autoridades alertaram que essas manifestações não foram autorizadas e ameaçaram os que nelas participem com medidas drásticas.