Líderes mundiais saúdam recondução de Guterres à frente da ONU

  • Vladimir Putin, Presidente da Rússia
Moscovo - O Presidente da Rússia felicitou hoje António Guterres pela reeleição como secretário-geral das Nações Unidas, sublinhando que o trabalho do antigo primeiro-ministro português permitirá aumentar a eficácia dos mecanismos da ONU e reforçar o papel da organização no mundo.

"A decisão da Assembleia Geral [na ONU] confirma plenamente o seu prestígio político", escreveu Putin a Guterres numa mensagem de felicitações divulgada hoje pelo Kremlin depois de aquele órgão das Nações Unidas ter confirmado o segundo mandato à frente da organização.

"Estou convencido que o seu trabalho e actividade permitirão, tal como no passado, aumentar a eficácia dos mecanismos da ONU e reforçar o papel coordenador da organização nos assuntos globais", afirmou o Presidente russo.

Putin assegurou a Guterres, contra quem nenhum outro país apresentou uma alternativa, que a Rússia, como Estado fundador e membro permanente do Conselho de Segurança da ONU, continuará a contribuir "activamente na procura de resolver as múltiplas tarefas" que as Nações Unidas enfrentam.

Por sua vez, o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, felicitou António Guterres pela reeleição como secretário-geral da ONU e garantiu que a União Europeia está a seu lado na defesa do multilateralismo, paz e direitos humanos.

"Quero felicitar António Guterres pela sua recondução, hoje, como secretário-geral das Nações Unidas. Nestes tempos sem precedentes, a sua liderança e experiência serão vitais", lê-se na mensagem de felicitações publicada por Charles Michel na sua conta oficial na rede social Twitter.

"Terá a UE a seu lado para o multilateralismo, paz e direitos humanos. Vemo-nos na próxima semana no Conselho Europeu", despede-se Charles Michel, com uma alusão ao convite que dirigiu ao secretário-geral da ONU para participar na cimeira de chefes de Estado e de Governo da União, que se celebra a 24 e 25 de Junho em Bruxelas.

No início do mês, o porta-voz de Charles Michel anunciou que o presidente do Conselho iria "convidar António Guterres para se juntar aos líderes da UE no próximo Conselho Europeu a 24 de Junho", com o objectivo de "reforçar a cooperação entre a UE e a ONU para enfrentar desafios globais", numa cimeira que tem entre os pontos em agenda o multilateralismo, o clima, os direitos humanos, a paz, o desenvolvimento e a recuperação global pós-covid-19.

Hoje, a Comissão Europeia anunciou que convidou António Guterres para um almoço de trabalho com o colégio liderado por Ursula von der Leyen na quarta-feira, 23 de Junho, véspera do Conselho Europeu e dia de reunião do colégio.

António Guterres tomou hoje posse para um segundo mandato como secretário-geral da Organização das Nações Unidas, declarando-se um "multilateralista devoto" e "português orgulhoso", e voltou a pedir distribuição de vacinas contra a covid-19 como "prioridade mundial absoluta".

António Guterres, que prestou juramento pela segunda vez em cinco anos à frente de uma organização com 193 Estados-membros, em Nova Iorque, admitiu que existem "tarefas colossais" a que o mundo deve responder unido, com destaque para a prevenção de conflitos e preparação da segurança social em caso de futuras pandemias.

Expressando gratidão a Portugal pela renomeação, o secretário-geral declarou-se um "multilateralista devoto, mas também português orgulhoso", num discurso que proferiu em três línguas -- inglês, francês e espanhol -- na Assembleia-Geral da ONU.

"Tudo o que aprendi e me tornei" foi resultado do trabalho "em conjunto" com o povo português, disse o antigo primeiro-ministro, agradecendo ainda a presença do Presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, que esteve na assistência para este momento solene.

"A decisão da Assembleia Geral [na ONU] confirma plenamente o seu prestígio político", escreveu Putin a Guterres numa mensagem de felicitações divulgada hoje pelo Kremlin depois de aquele órgão das Nações Unidas ter confirmado o segundo mandato à frente da organização.

"Estou convencido que o seu trabalho e actividade permitirão, tal como no passado, aumentar a eficácia dos mecanismos da ONU e reforçar o papel coordenador da organização nos assuntos globais", afirmou o Presidente russo.

Putin assegurou a Guterres, contra quem nenhum outro país apresentou uma alternativa, que a Rússia, como Estado fundador e membro permanente do Conselho de Segurança da ONU, continuará a contribuir "activamente na procura de resolver as múltiplas tarefas" que as Nações Unidas enfrentam.

Por sua vez, o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, felicitou António Guterres pela reeleição como secretário-geral da ONU e garantiu que a União Europeia está a seu lado na defesa do multilateralismo, paz e direitos humanos.

"Quero felicitar António Guterres pela sua recondução, hoje, como secretário-geral das Nações Unidas. Nestes tempos sem precedentes, a sua liderança e experiência serão vitais", lê-se na mensagem de felicitações publicada por Charles Michel na sua conta oficial na rede social Twitter.

"Terá a UE a seu lado para o multilateralismo, paz e direitos humanos. Vemo-nos na próxima semana no Conselho Europeu", despede-se Charles Michel, com uma alusão ao convite que dirigiu ao secretário-geral da ONU para participar na cimeira de chefes de Estado e de Governo da União, que se celebra a 24 e 25 de Junho em Bruxelas.

No início do mês, o porta-voz de Charles Michel anunciou que o presidente do Conselho iria "convidar António Guterres para se juntar aos líderes da UE no próximo Conselho Europeu a 24 de Junho", com o objectivo de "reforçar a cooperação entre a UE e a ONU para enfrentar desafios globais", numa cimeira que tem entre os pontos em agenda o multilateralismo, o clima, os direitos humanos, a paz, o desenvolvimento e a recuperação global pós-covid-19.

Hoje, a Comissão Europeia anunciou que convidou António Guterres para um almoço de trabalho com o colégio liderado por Ursula von der Leyen na quarta-feira, 23 de Junho, véspera do Conselho Europeu e dia de reunião do colégio.

António Guterres tomou hoje posse para um segundo mandato como secretário-geral da Organização das Nações Unidas, declarando-se um "multilateralista devoto" e "português orgulhoso", e voltou a pedir distribuição de vacinas contra a covid-19 como "prioridade mundial absoluta".

António Guterres, que prestou juramento pela segunda vez em cinco anos à frente de uma organização com 193 Estados-membros, em Nova Iorque, admitiu que existem "tarefas colossais" a que o mundo deve responder unido, com destaque para a prevenção de conflitos e preparação da segurança social em caso de futuras pandemias.

Expressando gratidão a Portugal pela renomeação, o secretário-geral declarou-se um "multilateralista devoto, mas também português orgulhoso", num discurso que proferiu em três línguas -- inglês, francês e espanhol -- na Assembleia-Geral da ONU.

"Tudo o que aprendi e me tornei" foi resultado do trabalho "em conjunto" com o povo português, disse o antigo primeiro-ministro, agradecendo ainda a presença do Presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, que esteve na assistência para este momento solene.