México regista aumento de mortos em 24 horas

  • Bandeira do México
Cidade do México - O governo mexicano contabilizou 192 mortos por Covid-19 nas últimas 24 horas, num total de 231.151 óbitos e com um aumento das infecções, informou no sábado a Secretaria da Saúde (SSa) no seu relatório diário.

Foram ainda registados 3.964 novos contágios com o coronavírus SARS-CoV-2, que elevam para 2.475.705 os casos confirmados.

Após quatro meses consecutivos de recuo no número de casos, a SSa reconheceu que "no encerramento da semana epidemiológica 22 registou-se um incremento de 15% no número de casos calculados, em comparação com a semana anterior".

Com estes números, o México é o quarto país do mundo com mais mortos, atrás dos Estados Unidos, Brasil e Índia, e o 15º em número de contágios confirmados, segundo a contagem da Universidade Johns Hopkins, dos Estados Unidos.

No entanto, o Governo reconheceu em finais de Abril que os falecidos associadas à covid-19 são na realidade pouco mais de 332.500, após uma análise dos registos de óbitos.

"Face ao aumento do número de casos a nível nacional, é indispensável manter as medidas básicas de prevenção", indicou a Secretaria.

A ocupação média de camas nos hospitais é de 16 por cento para internamento geral e 14 das taxas nas unidades de cuidados intensivos.

Já foram administradas 39,6 milhões de doses da vacina contra a covid-19, com mais 435.176 no último dia.

A SSa indicou que 16.177.003 pessoas já receberam as duas doses necessárias para completar o processo de vacinação.

O programa de vacinação é de momento dirigido aos adultos maiores de 60 anos, adultos entre os 50 e os 59 anos, entre os 40 e os 49 anos, grávidas, pessoal médico e trabalhadores do setor da educação.

O país, com cerca de 120 milhões de habitantes, recebeu desde 23 de Dezembro de 2020 mais de 49 milhões de doses de seis empresas farmacêuticas.

O México tem reservadas 34,4 milhões de doses da norte-americana Pfizer, 79,4 milhões da anglo-sueca AstraZeneca, 35 milhões da chinesa CanSino, 24 milhões da russa Sputnik V, 20 milhões da chinesa Sinovac e 51,4 milhões da plataforma Covax, criada pelas Nações Unidas.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.853.859 mortos no mundo, resultantes de mais de 177,7 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, detectado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Foram ainda registados 3.964 novos contágios com o coronavírus SARS-CoV-2, que elevam para 2.475.705 os casos confirmados.

Após quatro meses consecutivos de recuo no número de casos, a SSa reconheceu que "no encerramento da semana epidemiológica 22 registou-se um incremento de 15% no número de casos calculados, em comparação com a semana anterior".

Com estes números, o México é o quarto país do mundo com mais mortos, atrás dos Estados Unidos, Brasil e Índia, e o 15º em número de contágios confirmados, segundo a contagem da Universidade Johns Hopkins, dos Estados Unidos.

No entanto, o Governo reconheceu em finais de Abril que os falecidos associadas à covid-19 são na realidade pouco mais de 332.500, após uma análise dos registos de óbitos.

"Face ao aumento do número de casos a nível nacional, é indispensável manter as medidas básicas de prevenção", indicou a Secretaria.

A ocupação média de camas nos hospitais é de 16 por cento para internamento geral e 14 das taxas nas unidades de cuidados intensivos.

Já foram administradas 39,6 milhões de doses da vacina contra a covid-19, com mais 435.176 no último dia.

A SSa indicou que 16.177.003 pessoas já receberam as duas doses necessárias para completar o processo de vacinação.

O programa de vacinação é de momento dirigido aos adultos maiores de 60 anos, adultos entre os 50 e os 59 anos, entre os 40 e os 49 anos, grávidas, pessoal médico e trabalhadores do setor da educação.

O país, com cerca de 120 milhões de habitantes, recebeu desde 23 de Dezembro de 2020 mais de 49 milhões de doses de seis empresas farmacêuticas.

O México tem reservadas 34,4 milhões de doses da norte-americana Pfizer, 79,4 milhões da anglo-sueca AstraZeneca, 35 milhões da chinesa CanSino, 24 milhões da russa Sputnik V, 20 milhões da chinesa Sinovac e 51,4 milhões da plataforma Covax, criada pelas Nações Unidas.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.853.859 mortos no mundo, resultantes de mais de 177,7 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, detectado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.