Ministros do Trabalho da UE discutem Pilar Social e políticas de igualdade

Bruxelas – Os ministros do Trabalho da União Europeia (UE) discutem hoje o plano de acção do Pilar Europeu dos Direitos Sociais e políticas de igualdade, numa videoconferência dirigida a partir de Bruxelas pela presidência portuguesa.

As ministras de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, e do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, vão dirigir “um debate de orientação sobre o plano de acção, centrando-se no objectivo geral de implementar ainda mais o Pilar Europeu dos Direitos Sociais”, segundo a agenda divulgada pelos serviços do Conselho.

Os 27 ministros da UE discutirão as acções que poderão ser tomadas a nível nacional para atingir as principais metas do plano de acção apresentado pela Comissão Europeia: ter 78% da população da UE empregada até 2030, pelo menos 60% dos trabalhadores com acções de formação todos os anos e menos 15 milhões de pessoas em risco de pobreza e exclusão social.

Os ministros vão também debater o fortalecimento das “políticas activas do mercado de trabalho em resposta à crise provocada pela pandemia” de covid-19 e o reforço das políticas de igualdade, não-discriminação e diversidade, como "uma prioridade política” dos 27 Estados-membros da UE.

Neste âmbito, será dada “particular atenção aos aspectos de política social e de emprego nos planos de recuperação e resiliência que estão a ser elaborados” pelos governos do bloco comunitário e que deverão ser entregues até 30 de Abril de 2021.

A videoconferência informal dos ministros do Trabalho e da Política Social da UE tem início às 09h30 de Bruxelas (09:30 de Angola) e decorre até às 18h00 de Bruxelas.

As ministras de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, e do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, vão dirigir “um debate de orientação sobre o plano de acção, centrando-se no objectivo geral de implementar ainda mais o Pilar Europeu dos Direitos Sociais”, segundo a agenda divulgada pelos serviços do Conselho.

Os 27 ministros da UE discutirão as acções que poderão ser tomadas a nível nacional para atingir as principais metas do plano de acção apresentado pela Comissão Europeia: ter 78% da população da UE empregada até 2030, pelo menos 60% dos trabalhadores com acções de formação todos os anos e menos 15 milhões de pessoas em risco de pobreza e exclusão social.

Os ministros vão também debater o fortalecimento das “políticas activas do mercado de trabalho em resposta à crise provocada pela pandemia” de covid-19 e o reforço das políticas de igualdade, não-discriminação e diversidade, como "uma prioridade política” dos 27 Estados-membros da UE.

Neste âmbito, será dada “particular atenção aos aspectos de política social e de emprego nos planos de recuperação e resiliência que estão a ser elaborados” pelos governos do bloco comunitário e que deverão ser entregues até 30 de Abril de 2021.

A videoconferência informal dos ministros do Trabalho e da Política Social da UE tem início às 09h30 de Bruxelas (09:30 de Angola) e decorre até às 18h00 de Bruxelas.